segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Frutas em Calda (Sobremesa de Natal)

Ingredientes

- 400 ml de água filtrada

- 200 g de açúcar

- ameixas secas

- 2 figos secos

- 2 maçãs


- 2 peras

- 12 damascos

- uvas-passa

- 400 ml de vinho tinto

Como Fazer
Lavar as frutas secas e pôr de molho por 1 hora.
Descascar, tirar as sementes e cortar ao meio as maçãs e peras.

Em uma panela, cozinhar as peras cobertas com o vinho e com metade do açúcar; fazer o mesmo com as maçãs, substituindo o vinho pela água e adicionar o resto do açúcar e as frutas secas.

Cozinhar em fogo baixo durante 10 minutos.
Testar a maciez das frutas frescas espetando-as com um garfo.
Retirar do fogo e deixar esfriar.
Se o molho estiver muito líquido, cozinhe mais um pouco (sem as frutas) para que fique mais espesso.
Se quiser, sirva acompanhado de sorvete de creme.
Ou use as frutas para enfeitar o prato do peru, ou do tender.

Aumento das Alergias Graves

Um em cada cinco australianos sofre de ao menos uma alergia e o número de reações potencialmente perigosas têm aumentado muito.

A maioria das alergias está relacionada aos alimentos, mas muitas pessoas não sabem como evitar os riscos. Entre os países desenvolvidos, Austrália e Nova Zelândia têm a maior taxa de alergias. Segundo projeções atuais, o número de pessoas com alergias vai praticamente dobrar para 7, 7 milhões em apenas 40 anos.

O amendoim é o alimento que mais causa reação alérgica séria, conhecida como anafilaxia.


A incidência de alergia ao amendoim dobrou nos últimos cinco anos e é agora a causa mais comum de choque anafilático (provocado por alimento) e morte em crianças.
Cerca de 10 australianos morrem por ano e centenas de outros precisam de tratamento de emergência, como resultado de reações anafiláticas, que poderiam ser prevenidas.

É importante que as pessoas alérgicas evitem os alimentos conhecidos por provocar reações. Elas também devem se lembrar de lavar as mãos após comer, não compartilhar a comida e cuidar com a contaminação cruzada na preparação e ao servir os alimentos.

Os alérgicos graves também devem carregar seu kit com injeção de adrenalina e um bracelete ou colar para alertar em caso de acidente sem a presença de amigos ou familiares.

Os governantes deveriam reconhecer o aumento das alergias graves como um problema de saúde pública e o impacto que pode ter sobre o futuro das populações.

Resumo e adaptação de artigo publicado em 14/05/2008.
http://bit.ly/dapmZt

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Arroz de Aromas Asiáticos

Uma sugestão de arroz colorido e aromático para servir na ceia de Natal, ou no Ano Novo.

Ingredientes
- 1 xíc. de arroz de jasmim (ou branco)
- 1 dente de alho
- 1 talo de aipo
- gengibre fresco (pedaço de ½ cm)
- ½ pimentão amarelo
- ½ pimentão vermelho
- 1 cenoura
- 1 porção de vagem
- 4 c.s. de azeite de oliva extra-virgem
- sal e pimenta

Como Fazer
Pique bem o aipo e o gengibre.
Corte os demais legumes à Juliana (tiras bem fininhas).
Cozinhe o arroz normalmente com água e sal.
Numa frigideira com 3 c.s. de azeite de oliva, refogue o alho, o aipo e o gengibre por uns 2 minutos.
Junte os legumes picados, refogando por 5 min.
E então adicione o arroz cozido.
Tempere com sal e pimenta à gosto e misture bem.
Coloque num prato, ou em bowls individuais e enfeite com salsinha ou cebolinha picada.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cuidados Com Os Alimentos Industrializados II

Parte 2 – Comer fora x Comer em casa

Durante anos, ninguém tinha noção de que existia, ou o que era a tal da ‘gordura trans’ presente em grande parte dos alimentos industrializados que consumimos. Quantos pacotes de bolacha recheada devorados, que pecado!

Hoje em dia, muitos devem pensar que o pior passou, já que todas novas embalagens avisam: livre de gordura trans! Mas como as bolachas continuam crocantes, e os pães tão macios?! Acontece que a gordura trans foi substituída, em muitos casos, pelo óleo de palma, uma gordura saturada que não faz nenhum bem para a saúde. É trocar o ruim pelo mau.

A verdade é que não há desculpa para a indústria alimentícia mundial não ter trocado a gordura trans por gorduras mais saudáveis, como o óleo de canola, que tem 8% de gordura saturada, comparado aos 55% do óleo de palma. Muitas vezes o óleo de palma aparece rotulado genericamente como “óleo vegetal”. Ao encontrar esse tipo de rotulagem é bom desconfiar!

As pessoas têm comprado óleos mais saudáveis para consumir em casa, mas poucas empresas alimentícias têm seguido o exemplo. A indústria pode tentar justificar pelo fator custo, mas qual é o preço de nossa saúde?

Outra grande preocupação é a quantidade de gordura que consumimos ao comer fora, em restaurantes e lanchonetes, e que não está visível em rótulos ou menus.
Procuramos ser tão criteriosos ao escolher os alimentos no supermercado, mas muitas vezes não fazemos idéia do que estamos comendo num restaurante. Pode-se dizer que há uma ignorância generalizada sobre o que nos está sendo servido.

O consumo diário de gorduras saturadas e trans, combinadas, não devem ultrapassar os 10%.

Nos últimos anos, o apelo por comida saudável tem levado as grandes redes de ’fast food’ a adotar uma postura mais politicamente correta, por assim dizer.
Oferecer lanches com menos gordura, bebidas ‘diet’, saladas, etc. têm sido a estratégia dos restaurantes para atrair um público preocupado com uma dieta mais saudável.

Entretanto, pesquisas comportamentais mostraram que a oferta de alguns alimentos saudáveis serve apenas, na maioria dos casos, para fazer o consumidor cair em tentação e fazer a escolha errada.


O mesmo acontece com vários alimentos industrializados, como salgadinhos e doces em geral, que têm sido reformulados para parecer mais nutritivos, mas no final das contas continuam com a mesma quantidade de calorias que o original.
As ‘águas flavorizadas’ tão em moda atualmente (que não passam de refrigerantes) são um bom exemplo de como a promoção de um produto pode confundir o consumidor.
continue lendo...

Cuidados Com Os Alimentos Industrializados I

Parte 1 – Conscientizando os pais sobre a saúde de seus filhos

Um dos grandes dilemas da vida moderna está em como conciliar uma vida saudável com a falta de tempo para consumir mais alimentos naturais e menos industrializados.

Eu, por exemplo, cresci vendo minha avó fazer quase tudo em casa, da massa ao pão, das geléias aos biscoitos. Minha mãe já é de uma geração que trabalhava fora e ao mesmo tempo cuidava da casa, e fazer uma massa caseira era algo raro. Mas ela sempre preparava nossas refeições, os bolos para o lanche da tarde, as tortas de aniversário...

A preocupação com os malefícios dos alimentos industrializados e ‘junk food’ em geral é tão grande, dentro da comunidade médica, que em muitos países cresce a idéia de taxar pesadamente esses produtos para ‘forçar’ a população a comer comida saudável.
São propostas radicais, que seguem o exemplo do combate ao consumo do tabaco e do álcool.

Na Austrália, por exemplo, calcula-se que a dieta seguida atualmente pelas crianças desse país, pode lhes tirar ao menos dois anos de suas vidas. Mudar o estilo de vida das crianças, com mais atividade física e menos ‘junk food’ é um dever dos pais para com o futuro de seus filhos.

Além de aumentar o preço dos alimentos ‘maus’, outra medida seria banir a publicidade desses produtos, principalmente a que é direcionada a seduzir o público infantil. Isso incluiria tirar da TV comerciais de alimentos e bebidas ricos em energia e pobres em nutrientes, e proibir a associação com personagens de desenho animado, celebridades e brinquedos. Se até adultos se encantam com os brinquedos oferecidos nos lanches ‘fast food’, imagine as crianças! A publicidade certamente influencia as preferências das crianças e adolescentes.

Se não prepararmos nossos filhos agora, eles vão crescer sem conhecer os benefícios de uma alimentação saudável. Estudos sobre a dieta alimentar infantil prevêem um futuro em que o aumento na obesidade fará com que a diabetes do tipo 2 seja a doença mais comum entre os homens, e a segunda mais comum nas mulheres.

Não dê salgadinhos para que seu filho obedeça ou tenha sua atenção.

Pesquisas também revelaram que a grande maioria dos pais não consegue convencer seus filhos a comer verduras, e cedem quando as crianças pedem ‘junk food’.

Tentar esconder ou disfarçar o legume ou a verdura no meio de outras comidas não é uma boa estratégia. Se a indústria de ‘fast food’ gasta bilhões em propaganda, os pais também têm de fazer sua propaganda da comida caseira.

Estabeleça um dia da semana em que é permitido comer ‘porcarias’. E procure fazer as refeições em família, o que é um grande incentivo para a criança seguir o exemplo dos pais e irmãos mais velhos e comer bem.

sábado, 21 de novembro de 2009

Prevenção da Gripe A

Quais Alimentos Ajudam a Combater a Gripe A (H1N1)?

Embora a transmissão da Gripe A tenha sido muito reduzida com a chegada do calor no país, no Hemisfério Norte a preocupação com a doença é grande, e as campanhas de vacinação já começaram.

Mesmo assim, é bom ficarmos atentos, de forma preventiva, não só com a Gripe A, mas com gripes em geral, que podem trazer conseqüências desagradáveis à nossa saúde.

Os cuidados com a higiene pessoal, não devem ser diminuídos, ou seja, lavar bem as mãos, usar o álcool gel, usar lenços descartáveis e manter os ambientes sempre bem arejados.

Mas seguir essas indicações muitas vezes não é o suficiente para prevenir as infecções. Uma vez que o vírus invade o corpo, reforçar o sistema imunológico é o melhor modo de lutar contra a gripe. Pessoas com o sistema imunológico forte são menos propensas a desenvolver sintomas sérios quando são infectadas.

Aqui estão alguns alimentos que podem ajudar a reforçar seu sistema imunológico.

KIWI – uma fruta rica em Vitamina C

O kiwi tem altos níveis de vitamina C, o que ajuda a fortalecer o sistema imunológico.
A vitamina C encoraja a produção de interferon, que limita o crescimento de viroses e de células cancerígenas.
Um só kiwi contém cerca de 100 mg de vitamina C, quase duas vezes mais que a quantidade encontrada num limão ou numa laranja, e seis vezes mais que numa maçã.
Por sinal, um kiwi é o suficiente para suprir a dose diária recomendada de vitamina C (60-70 mg).


Gengibre – e seu componente ativo, o Gingerol

O Gengibre é efetivo em destruir bactérias que podem levar às viroses gripais, pneumonia e bronquite. Sabe-se que o componente ativo do gengibre, o gingerol, inibe a COX-2, uma enzima que causa inflamação. Entretanto, um consumo excessivo de gengibre pode estimular a secreção do suco gástrico, danificando a membrana mucosa gástrica. Como o cozimento não afeta sua potência, pessoas com estômago delicado podem cozer o gengibre antes de consumi-lo.


Ostras e Carne Vermelha – boas fontes de zinco

O zinco presente na carne vermelha e nas ostras ajuda a fortalecer os leucócitos.
Um estudo norte-americano mostrou que um aporte de zinco dentro de 24 horas depois de desenvolver sintomas da gripe pode ajudar a aliviá-los. Mas cuidado! Consumir zinco em excesso pode enfraquecer o sistema imunológico, portanto é melhor evitar os suplementos de zinco e comer alimentos como carne, ostras, feijões e lulas, que são ricos nesse mineral.

Ômega 3 – ácidos graxos presente nos peixes

O ômega 3 (ácido graxo) inibe os processos inflamatórios e ajuda a ativar os leucócitos. Estimula o metabolismo corporal e tem um melhor efeito quando consumido através de pescado do que de fontes vegetais.
Para promover o metabolismo corporal é bom consumir de 2 a 3 gramas de ácido graxo ômega 3 ao dia.
Uma porção de peixe, como a cavala (peixe de águas frias), por exemplo, contém de 0,5 a 1 g da substância.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Crumble de Amoras

Uma sobremesa rápida de fazer e de sabor sofisticado.
Aliás, uma das sobremesas que mais gosto de fazer é o 'crumble de maçã' (que está no livro "Guia Para Uma Vida Saudável...").

Crumble de Amoras

Ingredientes
- 500 g de Amoras
- 4 colheres de sopa de açúcar refinado
- 2 c.s. de gengibre fresco (ralado fino)
- 60 g de polenta
- 60 g de farinha de arroz
- 60 g de farinha de amêndoas
- 100g de açúcar mascavo
- 1 c.s. de fermento químico
- 75 g de margarina culinária (cortada em cubos de 2 cm)

Como Preparar

Pré-aqueça o forno a 200ºC.

Numa vasilha funda, misture as amoras com o açúcar refinado e o gengibre ralado.
Cuide para não ‘machucar’ muito as amoras.

Em outra vasilha combine os ingredientes secos, misturando bem.
Adicione os cubos de margarina e amasse com os dedos até obter uma textura de farofa.

Em uma travessa refratária (ou 7 individuais) untada, disponha uma camada das amoras e por cima uma camada da ‘farofa’.

Leve ao forno por 15-20 minutos, até que a farofa fique dourada.

Deixe amornar e sirva, sozinho, ou acompanhado de sorvete de creme.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Salada Verde com Tomates Cereja

Receitas de Natal

Para enfeitar a mesa da ceia de Natal, uma salada fácil de fazer, e que fica bem colorida.

Salada Verde com Tomates Cereja

Ingredientes
- Folhas verdes variadas (alface, rúcula, agrião)
- 1 bandeja de tomates cereja
- 50 g de nozes
- 30 g de passas
- vinagre de vinho tinto
- azeite de oliva
- sal, pimenta-do-reino
- 6 azeitonas pretas (sem sementes)
- açúcar ou mel

Como Preparar: lave bem os tomates e corte-os ao meio. Com uma faca bem afiada, faça um pequeno corte na casca de cada metade (efeito decorativo).

Numa saladeira ou prato disponha as folhas verdes, os tomates, as nozes e as passas.

Prepare o vinagrete: misture o vinagre, o azeite, 1 pitada de sal e pimenta, 1 c.c. de açúcar (ou mel), o azeite e as azeitonas bem picadas. Misture muito bem até ficar homogêneo.

Tempere a salada pouco antes de servir.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Drinks Clássicos

Já que no último post falamos sobre bebidas alcoólicas, aqui vão algumas receitas preferidas da casa.

Embora eu não seja uma fã de Whisky (ou uisque) e seus derivados, tem um drink que é um de meus favoritos no verão, que é o Mint Julep. Por sorte, nessa época do ano os pezinhos de hortelã brotam espontaneamente no jardim, e logo vem a lembrança desse drink refrescante. De preferência, beba ao ar livre, no campo, ou à beira da piscina.

MINT JULEP

Ingredientes (para 2 drinks)
- Hortelã fresca (umas 10 folhas)
- Açúcar (2 c.s.)
- Whisky ou bourbon (3 doses)
- Água (1 c.s.)
- Gelo picado

Como preparar o drink: em dois copos altos, divida as folhas de hortelã, o açúcar e a água. Mascere com um pilão, coloque bastante gelo picado, derrame o whisky (não mexa). Coloque mais gelo para completar o copo. Leve ao congelador para esfriar bem o copo. Sirva em seguida. Se o whisky for muito amargo, adicione mais açúcar.

PISCO SOUR
O drink favorito de chilenos e peruanos, equivale à nossa caipirinha em termos de popularidade.

Ingredientes
- 3 doses de Pisco
- 1 dose de suco de limão
- 1 clara de ovo
- 1 colher de sopa de açúcar
- 1 pitada de Angostura (opcional)
- gelo

*É só bater todos os ingredientes - vigorosamente - numa coqueteleira e servir.

TEQUILA SUNRISE
- outro drink favorito dos verões na praia, é rápido como um pôr-do-sol no equador.

Num copo alto (previamente gelado), derrame 1 dose de tequila, 3 doses de suco de laranja, e um lance de groselha. Decore com gelo picado e uma fatia de laranja na borda do copo.

DAIQUIRI DE MORANGO

Ingredientes
- Espumante (de sua preferência)
- 2 c.s. de rum branco
- 1 c.s. de suco de limão
- 150 g de morangos
- 1/2 xíc. de açúcar
- gelo

Como preparar: Bata no liquidificador os morangos, o suco de limão e o açúcar . Coe para dentro de uma jarra. Junte o rum e o gelo e misture. Divida em copos altos e complete com espumante.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Bebidas Alcoólicas e o Glúten

Final de ano, chegam as festas, Natal, Ano Novo...
...e é difícil não fazer alguns brindes.

Para quem tem de evitar o glúten, sempre fica a dúvida, o que posso beber?


O que não pode? A cerveja deve ser evitada pelos celíacos, pois é feita do malte da cevada, por um processo de fermentação, que não elimina o glúten da bebida.

No exterior já existem marcas de cerveja sem glúten.
Existem cervejas à base de trigo sarraceno ou lúpulo.
Veja a receita da cerveja preta caseira:
http://saudesemgluten.blogspot.com/2009/06/cerveja-preta.html

O que pode? Embora o uísque também seja feito de cevada, o processo de destilação elimina o glúten da bebida. É bom lembrar que esse princípio só funciona para os destilados puros (uísque, vodka, gin, pisco). Licores à base de uísque podem conter glúten, portanto é bom ficar atento ao rótulo das bebidas.

Os vinhos, espumantes, cidras, xerez, vermute, conhaque, rum, aguardentes como cachaça, tequila e sakê, e alguns licores, estão liberados para o consumo.
Ressaltando-se a necessidade de sempre ler o rótulo do produto atentamente.

E naturalmente, beber sempre com moderação!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Refogado de Pinhões e Milho Verde

Nos últimos anos uma nova onda de imigração chinesa no Brasil trouxe uma culinária mais variada que aquela dos restaurantes 'fast food'. Os restaurantes de culinária chinesa vegetariana são um sucesso, não só pelo preço acessível, mas pelo sabor que agrada a todos os paladares.

Outro dia meu irmão comentou ter comido, num restaurante chinês vegetariano, um prato que levava pinhões (os nossos pinhões do Sul, das araucárias).
Então achei interessante postar essa receita de um prato típico chinês.
Os pinhões podem ser os nacionais, ou os ‘pinoles’.

Refogado de Pinhões e Milho Verde

Ingredientes
- 50 g de ‘pinoles’ ou pinhões
- 250 g de milho verde congelado
- 50 g de cenouras
- 50 g de pepino japonês
- 10 g de amido de milho
- 20 ml de água
- óleo para fritura
- 2 g de sal
- 2 g de caldo de galinha
- 5 g de vinho de arroz Jiafan (ou saquê para culinária)
- 10 g de cebolinha picada

Como Preparar
Aqueça o óleo e frite os ‘pinoles’ até ficarem dourados.
Tire e deixe escorrer num papel toalha.
Corte a cenoura e o pepino em cubinhos.
Misture os ingredientes do tempero (sal, caldo, saquê, cebolinha) e reserve.
Aqueça 2 colheres de sopa de óleo numa panela wok e refogue a cenoura e o pepino. Junte o milho verde e o tempero. Deixe levantar fervura e adicione os pinhões. Dissolva o amido na água e junte na panela, para engrossar o molho.
Sirva quente, com arroz.

Bolinhos de Amêndoas

O Natal está perto! É bom começar a pensar nos preparativos da ceia.
Esses bolinhos, que podem virar biscoitos se feitos mais finos, e podem ser presenteados num cesto, junto com um belo chá importado, p.ex., ou serem servidos com sorvete, na hora de abrir os presentes.

Bolinhos de Amêndoas

Ingredientes (4 porções):
- 50 g de farinha de arroz
- 40 g de açúcar
- 50 de amêndoas inteiras, sem casca (ou avelãs)
- 20 g de amêndoas moídas
- 50 ml de leite
- 50 ml de azeite de oliva
- 1 ovo inteiro + 1 clara
- 1 colher de chá de fermento em pó
- 1 pitada de sal

Como Fazer
Bata o ovo inteiro, a clara e o açúcar por 5 minutos, até formar uma mistura espumosa. Sem parar de bater, adicionar o azeite e o leite.
Incorporar os ingredientes secos (previamente misturados).
Parar de bater quando obtiver uma mistura homogênea.
Colocar a massa em moldes de silicone individuais.
Enfeitar com metades de amêndoas (ou avelãs).
Levar ao forno médio (pré-aquecido), por cerca de 20 minutos.
Deixar esfriar antes de desenformar.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Morango

Quem não se lembra da famosa cena do filme ‘Uma Linda Mulher’, em que Richard Gere oferece morangos frescos com champanha, para uma deslumbrada Julia Roberts?

Não é à toa que o morango é associado ao romantismo e à sedução.
Essa fruta de perfume e sabor marcantes é uma planta da família das rosas, de origem européia.

O valor nutritivo do morango está na presença de vitamina C, ácido salicílico (bom para o reumatismo e gota), além de ser uma excelente fonte de ferro.

O suco de morango ajuda a combater a anemia (pela presença do ferro) e a hipertensão, além de diminuir a taxa de colesterol no sangue.

O chá feito com seus rizomas é indicado para os rins e fígado.

As folhas podem ser usadas em forma de compressas (maceradas e colocadas sobre uma gaze) para eliminar irritações da pele ou como cicatrizante.


Como Preparar
O morango é uma fruta delicada, portanto deve ser conservada na geladeira, sem lavar, por no máximo 4 dias, em recipiente fechado.

Lave e retire as folhas apenas na hora de consumir.

Se o morango estiver doce, sirva-o ao natural. Ou adicione açúcar e suco de limão.

Chantilly é uma combinação perfeita para um prato de morangos.
Ou melhor ainda, vitamina de morango com leite condensado.

Para fazer geléia, escolha os morangos mais maduros e corte-os em pedaços grandes.

Outros usos culinários: recheios de tortas e bombons, sorvetes, cremes, iogurtes. Acompanhando saladas verdes (alface, rúcula); molho de frutas vermelhas (acompanha carnes brancas).

leia também:
Morango em Compota: http://tinyurl.com/yjmzmw2
Creme de Morangos e tofu: http://bit.ly/bJSyJ6
Torta dos Anjos: http://tinyurl.com/yff2rny

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ingredientes da Culinária Chinesa

Conheça alguns ingredientes básicos usados nos pratos chineses tradicionais.

Óleo de Amendoim – Usar de preferência na panela wok, pois pode ser aquecido a altas temperaturas; quanto mais alta a temperatura, mais rápido o ‘selamento’ da comida, e menor a absorção do óleo.
Vinagre ‘Chinkiang’ (vinagre de arroz escuro) – Muito usado na culinária chinesa, é um vinagre de arroz fermentado, de sabor forte mas defumado. Pode ser substituído por vinagre balsâmico.

Chilli desidratado em flocos – Pimentas vermelhas (red chillies) inteiras, com sementes e tudo, desidratadas e esmagadas.

Vinho de Arroz ‘Shao hsing’ – De baixo teor alcoólico, feito de arroz, milho e levedo, envelhecido de 3 a 5 anos. Pode ser substituído por sherry seco.

Molho de Soja Light - Não tão denso quanto o molho de soja escuro, mas de gosto mais salgado; tem versões com menos sódio. Feito de grãos de soja fermentados e trigo. O molho sem trigo é chamado de tamari.

Molho de Ostras – Originalmente um tempero feito do extrato de ostras, mas versões vegetarianas feitas de cogumelo e sem glutamato monosódico são melhores. Muito salgado, portanto deve-se usar com parcimônia, como condimento, e não para cozinhar ou marinar.


Óleo de Gergelim torrado – Um óleo de sabor de nozes, usado para aromatizar a comida. Um pouco é o suficiente para dar perfume e sabor no cozimento ou refogado.

Óleo de Chilli – ‘Chillies’ vermelhos desidratados, aquecidos em óleo de amendoim para produzir um óleo apimentado. Use nos molhos e no final do cozimento, para ‘aquecer’ o prato.

Vinagre de Arroz claro – vinagre doce e suave, feito de arroz fermentado, de acidez relativamente baixa. Mais usado que o vinagre de arroz escuro. Pode ser substituído pelo vinagre de maçã.

Pimentas ‘Sichuan’ – Muito usadas na China, esses frutos secos avermelhados de um tipo de freixo são utilizados inteiros ou em pó. De sabor pungente, apimentado e citroso, podem ser muito ‘quentes’. Um dos ingredientes do famoso pó chinês de cinco temperos.


Outros temperos importantes: raiz de gengibre fresco, alho, sal.

Ingredientes usados pelos chefs: cogumelos chineses desidratados; mini-camarões secos; casca de tangerina desidratada; pau-de-canela; funcho; cravo; anis estrelado e arroz de jasmim.

kung pao chicken

Carnes Exóticas

Algumas das chamadas “carnes exóticas”, que ao contrário do que alguns podem pensar, não são carnes de caça, mas de animais criados em cativeiro, são pouco conhecidas e consumidas, mas são muito saudáveis, por serem mais ‘magras’, com menos gordura e mais proteína.

Se você não tem disposição ou acesso a essas carnes para prepará-las, hoje em dia muitos restaurantes oferecem pratos de carnes diferentes em seus menus.

Se estiver disposto a desfrutar de novas experiências gastronômicas, você pode se surpreender com o sabor de carnes como a de búfalo ou de avestruz.

Veja algumas características de algumas carnes exóticas que você pode vir a encontrar em restaurantes, ou em alguma viagem ao exterior:

Búfalo: classificada como de primeira qualidade, essa carne vermelha pode ser cozida de várias formas (grelhada, frita, assada, etc.). Tem um sabor um pouco mais forte que a de boi. Embora se possa estranhar o sabor a princípio, é uma carne saudável, por conter menos gordura, colesterol e calorias que outras carnes como a de frango ou pato.

Avestruz: de textura, sabor e cor semelhante à carne de boi, mas com colesterol mais baixo, menos gordura e calorias, embora rica em proteínas. Seu consumo tem se popularizado em várias partes do mundo. E os ovos de avestruz também são muito apreciados.

Emu: o Emu (Dromaius novaehollandiae) é o maior pássaro nativo da Austrália. Assim como a carne de avestruz, é uma carne vermelha bem magra (97% livre de gordura) e por isso é ótima para quem está de dieta, ou quer manter a forma. Lembra a carne de novilho, mas contém mais ferro, proteínas e vitaminas A, C e B12. Além de sua carne, aproveitam-se seus ovos, a pele e a gordura.

Canguru: cada vez mais popular, graças as suas propriedades: é uma ótima fonte de proteínas, zinco e ferro, além de ter pouquíssima gordura, em comparação a outros tipos de carne. Parecida com a carne de novilho, mas mais tenra, mas com um sabor de carne de caça.

Jacaré: uma carne igualmente saudável, tem uma boa quantidade de proteínas, ácidos graxos não saturados e vitaminas. Quanto ao sabor, é um pouco difícil de definir ao paladar pouco acostumado ao seu consumo, mas poderíamos dizer que está entre o peixe e a carne de frango. Também é uma carne magra.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails