terça-feira, 28 de setembro de 2010

Saúde: Dermatite Atópica

O que é?

É um das afecções da pele mais comuns entre as crianças.

Embora ocasionalmente possa permanecer até a idade adulta, a dermatite atópica costuma afetar principalmente os bebês, prolongar-se durante a infância e não desaparecer até adolescência.

Esta afecção da pele, caracterizada por uma hipersensibilidade e secura excessiva, é uma grande desconhecida entre as mães, especialmente as de primeira viagem, e uma fonte de preocupação, principalmente depois do surgimento dos primeiros sintomas.


O que você deve saber sobre a dermatite nas crianças

Em que idade se manifesta?

Geralmente a dermatite atópica começa antes dos 6 meses e melhora, em cerca de 80 por cento dos casos, por volta dos 7 anos. Embora venham a ter sempre uma pele com tendência à secura e irritabilidade (muitos inclusive durante sua vida adulta), a maioria das crianças não são afetados por novos surtos, excetuando-se durante os períodos de estresse próprio da adolescência.

Como se reconhece?

Embora, em geral, a pele do bebê seja muito mais sensível e, portanto, propensa a afecções dermatológicas, o mais comum é que nos casos de dermatite atópica a pele apresente uma secura fora do habitual, com placas vermelhas e leve descamação.

Por que certas crianças têm dermatite atópica?
leia o artigo completo...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Bolo de Laranja

 
Este bolo tem uma textura leve, de pão-de-ló - inclusive é uma boa receita para montar uma torta em camadas. Gosto de fazê-lo sem cobertura, para comer no café da manhã ou no chá da tarde, polvilhado com açúcar confeiteiro. Mas você pode fazer uma cobertura de glacê de laranja, calda de chocolate, ou de geleia de laranja. Ou ainda fazer muffins com coberturas variadas, enfeitar com granulados, etc.

Ingredientes

- 1/2 xícara de amido de milho
- 3/4 xíc. de farinha de arroz
- 1 xícara de açúcar refinado
- 1 c.s. (rasa) de fermento químico
- 4 ovos grandes
- 12 colheres (sopa) de suco de laranja
- açúcar confeiteiro (para polvilhar)

Como Fazer

Unte com margarina e polvilhe com farinha de arroz uma fôrma de anel (ou uma fôrma retangular média).
Pré-aqueça o forno a 180oC.

Separe as gemas das claras.
Bata as 4 claras em neve. Reserve.

Passe as gemas por uma peneira (para descartar a película externa da gema).

Dissolva a maisena no suco de laranja.

Na batedeira, bata as gemas com o açúcar, até obter uma gemada.
Junte a maisena dissolvida no suco de laranja, através de uma peneira, para garantir que não fique nenhum grumo não dissolvido.
Bata bem para misturar a gemada ao líquido.

Adicione aos poucos a farinha de arroz e o fermento (previamente peneirados juntos), batendo até misturar bem.

À mão, acrescente delicadamente as claras em neve (misture primeiro uma colher e a seguir o restante).

Despeje a massa na fôrma. Leve ao forno por cerca de 40 min., ou até o bolo ficar cozido por dentro (faça o teste do palito).

Deixe esfriar e polvilhe com açúcar de confeiteiro.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Pizza de Liquidificador Sem Glúten


Essa receita é fantástica! Sirva no jantar, como lanche, em festas - em forminhas individuais, com vários tipos de cobertura. A massa fica macia e tão leve, irresistível.
Fiz uma pequena variação sobre a receita da "pizza de atum" do meu livro de receitas sem glúten. Você pode variar a cobertura da pizza à seu gosto. Experimente coberturas de palmito, frango desfiado, ou calabresa, por exemplo. Na pizza de atum ou de sardinha, se não tiver problema com o sal, enfeite com azeitonas pretas, ou alcaparras.

Ingredientes

Para a Massa:
- 350 a 400 g de ricota
- 1 copo de leite desnatado
- 2 ovos grandes
- 1 c.s. de óleo de canola
- 1 c.s. de queijo ralado
- 1 pitada de sal; pimenta-do-reino (moída na hora)
- 4 c.s. de farinha de arroz
- 3 c.s. de maisena
- 1 c.s. de fermento químico

Para a Cobertura:
- 2 latas de sardinha (light)
- 1/2 xíc. de molho de tomates
- orégano
- queijo ralado para polvilhar

Como Fazer

Unte com margarina, e polvilhe com farinha de arroz, uma fôrma redonda para quiche.
Pré-aqueça o forno a 220o C.

Abra as latas de sardinha. Tire os ossinhos do peixe. Num prato, divida cada sardinha em 4 partes, com cuidado para não desmanchar. Reserve.

Coloque os ingredientes da massa no liquidificador, primeiro os líquidos e por último os sólidos. Bata até a mistura ficar bem homogênea.
Despeje a massa na fôrma.

Delicadamente disponha as fatias de sardinha, em círculos, sobre a massa.
Com uma colher, derrame um pouco de molho de tomates sobre as sardinhas.
Polvilhe com orégano e queijo ralado.
Leve ao forno por cerca de 30 minutos, ou até a massa ficar firme e descolar da borda da fôrma.
obs.: a massa não fica dourada, fica mais pálida, por causa da ricota.
Sirva quente, ou espere esfriar e guarde na geladeira para um lanche.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Culinária: Tipos de Sal


Existem vários tipos de SAL, cada um contando com suas propriedades particulares, e combinando mais com determinado alimento e receita.

Como acontece com outros alimentos, o sal às vezes é acompanhado de uma má fama que nem sempre é justificada. Evidentemente, não é o melhor amigo de quem sofre de problemas de hipertensão ou de retenção de líquidos.

Entretanto, para quem não sofre desses problemas, o sal, consumido com parcimônia, não só não é prejudicial, como conta com benefícios para o organismo: proporciona ao corpo o sódio e cloro necessários para o equilíbrio hídrico, para evitar a desidratação do organismo e para preservar a atividade muscular e nervosa.

O sal é um condimento milenar, capaz de proporcionar um sabor especial às carnes, pescados, verduras, etc., ou atuar como um potente conservador de alimentos.

Há dois tipos de sal na natureza:

- sal-gema (halita): é cristalizado e aparece em forma de grandes rochas, originadas pela evaporação da água represada em antigos lagos.

- sal marinho: é o sal diluído na água do mar, sendo o mais comercializado no mundo; é obtido nas salinas, verdadeiras fábricas de sal, que se encontram próximas ao mar.

O chamado sal de cozinha, nunca é 100% puro. Em cada 100 g, há 2,5 g de outros sais minerais, principalmente o iodo, além do fosfato de sódio e carbonato de magnésio (esses dois adicionados para evitar que o sal empedre).

Variedades mais comuns de SAL

Sal Fino: é o mais utilizado na cozinha. Se for marinho se dissolve com maior rapidez que o sal-gema, e salga mais.


Sal Grosso: consiste de cristais de sal de tamanho maior. Os ‘chefs’ o usam muito para carnes e peixes, além das conservas.


Sal Iodado: é muito bom para prevenir transtornos como o bócio, lutar contra doenças muito graves como o retardo mental, as deficiências auditivas ou malformações congênitas. Por isso costuma-se recomendar o sal iodado às mulheres durante a gravidez.

Sal Maldon: é um sal inglês, de grande pureza, e com um forte sabor salgado, muito apreciado pelos chefs e gourmets. Um de seus usos mais comuns: adicionar uma pitada de sal Maldon a um filé de carne recém cozido (justo no momento de servi-lo). O resultado é delicioso!

Sal de Guerande: se encontra na Bretanha francesa. Com uma leve cor acinzentada, é muito rico em oligo-elementos, muito natural e sem nenhum tipo de aditivos.


Sal Negro: conhecido como ‘kala namak’, é produzido no norte da Índia. É um sal pouco refinado e com um sabor muito característico. Sua cor é rosada.

Sal Defumado: além de salgar, dá um toque defumado, como se fosse uma especiaria. Usa-se muito na cozinha oriental. Combina bem com pescados e cogumelos.


Sal de Especiarias: à base de produtos orgânicos, como pimenta, cravo, gengibre, noz moscada, aipo. Combina com carnes brancas, e pescados brancos.

Sal Rosa Himalaio: esse sal formou-se por depósitos fósseis marinhos há mais de 250 milhões de anos. Usado na culinária gourmet, e para tratamentos de beleza. Vai bem com saladas, sopas, vegetais, frutos do mar e cereais.


Sal com Trufas: uma mistura de trufas secas granuladas, com sal marinho. Por causa da trufa, esse sal tem um sabor muito forte e exótico. Fica ótimo polvilhado sobre risotos, cogumelos e massas.

Mexilhões ao Molho Escabeche



De todos os moluscos, o mexilhão é o mais rico em proteínas e ferro. Embora muito nutritivo, tem baixo valor calórico (80 calorias em cada 100 g), o que o torna recomendável para regimes de emagrecimento.

O mexilhão é também um alimento muito digestivo, quando não preparado com molhos fortes.

O mexilhão é mais comum nos meses de maio a agosto. Ao comprá-lo, você deve ter certeza absoluta de que está fresco, pois se não estiver pode provocar intoxicações sérias.

Como escolher o produto fresco:
- as conchas devem estar completamente fechadas, indicando que o molusco está vivo; caso estejam um pouco abertas, devem se fechas na mesma hora em que são tocadas; quanto ao aspecto, as conchas devem estar lisas, úmidas e brilhantes;

- o mexilhão tem normalmente um forte mas agradável cheiro de mar; odores enjoativos ou estranhos indicam deterioração;

- segure alguns mexilhões na mão - se estiverem muito leves, é porque já morreram, e a água que as conchas contêm já vazou. Você também pode comprar mexilhões congelados, sem concha e embalados em plástico. Mantenha-os na embalagem original até o momento de usar;

- os mexilhões frescos, na concha, devem ser consumidos no mesmo dia da compra e precisam permanecer vivos até o momento do uso. Sem retirar as algas ou limo, envolva-os num pano úmido, ou coloque-os numa tigela com um pouco de água no fundo, cobrindo com um pano úmido. O mexilhão congelado deve ser mantido no congelador até algumas horas antes do preparo.

Ingredientes

- 2 kg mexilhões
- 1 cebola
- 1 colher (sopa) de páprica
- 1 cabeça de alho
- 2 folhas de louro
- 1 colher (chá) de pimenta-do-reino em grão
- 200 ml de vinagre
- 200 ml de água
- 200 ml de azeite de oliva
- sal

Como Fazer

1-Lave bem os mexilhões, removendo a areia e a “barba” com uma escova. Coloque-os dentro de uma panela tampada, em fogo alto, sem água. Ao começar a sair vapor, segure a tampa e dê uma sacudida na panela por algumas vezes. Deixe cozinhar até que todas as conchas se abram. Retire do fogo, deixe esfriar e separe a carne da concha.


2- Descasque e pique a cebola (em Juliana). Coloque numa vasilha o azeite, a cebola picada, o alho cortado ao meio, a pimenta e o louro. Numa frigideira grande refogue esses ingredientes em fogo baixo, até que a cebola fique macia. Adicione a páprica, o vinagre, a água e o sal; deixe ferver por 5 minutos. Junte os mexilhões, espere que volte a ferver e tire do fogo.

3- Deixe o escabeche esfriar e guarde na geladeira por ao menos 24 horas. Sirva em temperatura ambiente.

Se comprar o molusco fresco, você pode guardar as conchas para enfeitar o prato, ao servir.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Atum com Feijão Branco

Uma combinação diferente, mas super saudável e o melhor, muito saborosa.
Montar esse prato é muito fácil e rápido. Se você não tiver tempo para cozinhar o feijão, use o feijão branco enlatado.


Os feijões contém proteína com baixo teor de gordura, fibras, vitaminas do complexo B, ferro, folato, potássio, magnésio e fitonutrientes.

O feijão é muito importante em qualquer dieta, por reduzir o colesterol, combater doenças cardíacas, estabilizar o açúcar do sangue, reduzir a obesidade, aliviar a constipação, a diverticulite, a hipertensão e a diabete tipo II. E não esqueça de que ingerir proteína vegetal conduz a menor perda de cálcio que com a proteína animal, um benefício para as pessoas vulneráveis à osteoporose.

Os feijões brancos (cannellini) têm a forma de um rim. De textura cremosa e macia, são bons para sopas e saladas.

O prato de atum e feijões brancos, passo a passo:
1- Prepare com antecedência 450g de feijão branco, ou use o feijão enlatado.


2- Coloque o feijão dentro de um escorredor, para retirar o excesso de líquido.
Tire o atum (em posta) da lata (2 latas) e deixe escorrer dentro de uma peneira.


3- Enquanto isso, prepare o molho: numa vasilha, misture 1/2 xíc. de vinagre de arroz, 2 c.s. de azeite de oliva, 1 c.s. rasa de açúcar, 1 pitada de sal, pimenta-do-reino, 1 c.c. de gengibre fresco ralado, 1 dente de alho picado.
Dica: se quiser, prepare um vinagrete de sua preferência, mas procure usar temperos suaves.

4- Divida esse molho em duas vasilhas.


5- Numa das vasilhas coloque o feijão, e na outra o atum. Misture com cuidado.


6- Corte em rodelas finas: 2 ramos de cebolinha, 1 cebola roxa, 1 tomate.


7- Monte os pratos individuais, como mostra a foto:


8- Sirva em seguida. E bom apetite!

sábado, 11 de setembro de 2010

Alongamento: exercícios para "alongar a dois"

Antes e depois de uma caminhada ou corrida, é bom sempre fazer alguns exercícios de alongamento.
Esses, por exemplo são ótimos para fazer com seu parceiro de exercício... ou só pra se divertir com seu amor!






Continue lendo...

Só Para os Guris: Alimentos Para Ficar Mais Forte

Qual a dieta ideal para acompanhar as atividades físicas?

Conheça a base de uma dieta saudável e equilibrada, que permita aumentar a massa muscular, sem precisar passar fome.

I- Proteínas

As proteínas são a base da dieta diária, e uma fonte inesgotável de energia.

O frango ou peito de peru, ricos em glutamina, e a carne vermelha, serão seus melhores aliados quando se trata de ganhar massa muscular, pois fornecem proteínas essenciais e muito pouca gordura. A carne vermelha também é uma fonte de creatina, uma substância utilizada como um suplemento dietético para recuperar a massa muscular.

O ovo, rico em proteínas, vitaminas, glicose e aminoácidos essenciais, é um alimento imprescindível em toda dieta destinada a ganhar músculos e render o máximo na academia. Claro que, para tirar o melhor proveito de menos calorias, é bom optar por alternativas menos gordurosas que as frituras, como ovos fritos na chapa, omelete, ovos cozidos ou misturados com legumes e camarão.

Na hora de temperar, esqueça o ketchup e a mostarda e substitua pelo azeite de oliva e pelo vinagrete caseiro. Saudável, gostoso e cheio de energia.

Os laticínios são outra boa fonte de proteínas. O consumo moderado de proteínas, responsável pela recuperação muscular após o exercício, é essencial se você quiser seguir a chamada “dieta do atleta”. Tente incluir uma pequena quantidade em cada refeição, na forma de iogurte, leite ou queijo.


II- Carboidratos
Quanto aos carboidratos, embora não pareça, são essenciais, desde que consumidos de forma correta: evite alimentos repletos de “calorias vazias", prefira o pão, massas, cereais, frutas e legumes.

III- Legumes

Quanto aos legumes, o espinafre é, sem dúvida, a estrela das dietas destinadas a "formar bíceps". Fresco, em saladas ou cozido, é rico em vitaminas, iodo e antioxidantes. O ferro, presente na salsa, acelga, couve, repolho, e em geral todos os vegetais de folhas verdes, também são cem por cento recomendados na sua dieta diária.


E por último, evite os suplementos alimentares, pois podem estar contaminados com produtos nocivos à saúde, tanto os de fabricação nacional, como os importados.

leia o artigo completo...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Nada de verduras, por favor!

Os adultos podem ser implicantes como crianças na hora de comer!

e mais...
Como fazer as crianças comerem mais legumes?

Experimentar uma comida diferente lhe enche de pavor? Você evita ir a festas e restaurantes porque pode ser persuadido a comer comidas desconhecidas ou comidas que não gosta?

Você gosta mais de comidas de gosto suave, como macarrão, pão ou batatas?

Pode soar como um medo infantil, mas hoje em dia está sendo reconhecido como um grave problema o caso de adultos muito exigentes na alimentação.


As Universidades de Pittsburgh e de Duke, nos EUA, lançaram o primeiro registro nacional dos “picky eaters” (aquelas pessoas que escolhem comer apenas certos alimentos) - uma condição que estão considerando incluir como uma desordem alimentar.

A doença seria distinta da anorexia, por não ser movida por uma preocupação com o aumento de peso, ou com a imagem do próprio corpo.

Mas há uma diferença real entre as pessoas que estremecem ao ver cogumelos em sua pizza, e aquelas que poderiam ser classificadas como tendo uma condição clínica.

Essa condição, de ser seletivo demais na escolha dos alimentos, tem de afetar a saúde ou o bem estar da pessoa.

Um caso grave seria de uma pessoa que prefere evitar festas, restaurantes, almoços de negócios e jantares, do que enfrentar um ambiente de comidas desconhecidas.

O registro citado acima, conhecido como “Food FAD (Finicky Eating in Adults) Study”, tem atraído milhares de participantes. Esse estudo é um primeiro passo para a definição da base de futuras pesquisas.

O hábito de implicar com a comida normalmente tem início na mais tenra infância, e funcionaria como uma salvaguarda evolutiva. Se pensarmos em termos de desenvolvimento, faz sentido que, quando as crianças estão aprendendo a andar, tenham mais medo de colocar coisas em suas bocas.

Na adolescência, a maioria dos jovens supera essa fase. Crianças que são extremamente seletivas em seus hábitos alimentares poderiam ser diagnosticadas como tendo uma doença chamada de “Desordem Alimentar da Infância” (“Feeding Disorder of Infancy or Early Childhood ”), que foi reconhecida a partir de publicação no “Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders”. Mas já há uma proposta para incluir os adultos nessa desordem, e mudar o nome da condição para “Avoidant/Restrictive Food Intake Disorder”.

Um exemplo de uma pessoa que é muito seletiva ao comer, mas não seria classificada como tendo alguma desordem alimentar, seria alguém que não suporta comer legumes cozidos, mas não se importa de comê-los crus. Isso não é uma desordem, pois há muitos alimentos que essa pessoa pode escolher para que sua saúde não seja prejudicada.

Muitas crianças que são implicantes na alimentação tem pais que se comportam da mesma forma.

Os adultos que são seletivos tendem a gostar de comidas suaves, sem cor, como macarrão sem molho, ou batatas fritas.

Tanto em crianças como em adultos, ser seletivo na alimentação pode ser causado por uma “neofobia alimentar”, ou seja, o medo de comidas novas, diferentes, por uma sensibilidade sensorial a certas texturas, ou até mesmo por experiências traumáticas como ter sido forçado a comer algo na infância.


Leia o artigo completo...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Salada de Salmão

Essa é uma receita muito saudável, onde o salmão é cozido num tempero de vinho e ervas, mas se preferir cozinhe rapidamente na frigideira, com manteiga, para dar um toque mais crocante.
Já postei uma receita similar, o “Salmão Marinado”, onde o peixe era cozido no vinagre de maçã, o que também fica uma delícia.

Ingredientes
  • 500 g de filés de salmão
  • ½ xíc. de vinho branco seco
  • ½ xíc. de água
  • 1 cebola pequena
  • 2 ramos de salsa
  • ramos de ervas frescas (endro ou outros)
  • sal e pimenta
  • folhas verdes (rúcula, agrião, alface)
  • fatias de limão

Como Fazer

Escolha uma frigideira onde caibam os filés de salmão numa só camada.

Junte o vinho, a água, a salsa e a cebola cortada em fatias finas.
Leve ao fogo médio.

Disponha os filés de salmão, a pele voltada para baixo, dentro do líquido e cozinhe por cerca de 5 minutos, até a carne ficar opaca. Tire do fogo.

Tempere com sal e pimenta e deixe esfriar, enquanto prepara o resto da salada.
Obs.: se for comer imediatamente pode servir o salmão ainda quente com a salada de folhas e umas batatinhas.

Lave e seque as folhas que escolheu para a salada e arrume-as em cada prato individual. Por cima uma fatia de salmão e enfeite com fatias de limão.
Se quiser, prepare um molho de salada com mostarda, para temperar o prato em separado.

Dica de outros acompanhamentos para a salada de salmão: batatinhas cozidas, aspargos no vapor, ovos pochê, fatias crocantes de erva-doce, amêndoas torradas.

Geleia de Amoras

Essa frutinha vermelha é rica em vitaminas e tem poucas calorias.

Faça essa saborosa geleia, para comer no café da manhã, com pão ou iogurte natural, ou para rechear um bolo.

Embora seja mais usada na confeitaria, essa fruta também é um ótimo acompanhamento de pratos salgados: pratos com carne de porco, aves, carnes de caça, etc.


Escolha as frutas de cor negra e brilhante, e guarde-as na geladeira (por até 3 dias).

A amora é rica em vitaminas A, B e C e contém ácido cítrico.

O consumo das amoras é recomendado, por exemplo, nas dietas de emagrecimento, por suas baixas calorias (obviamente, se comidas em seu estado natural, sem açúcar).


A infusão de folhas de amora selvagem (Rubus fructicosus) é boa para se fazer gargarejos, nas inflamações da boca. Ou faça bochechos com o suco da amora diluído em um pouco de água.

Quando maduras, têm propriedades laxantes e depurativas, por ajudar a melhorar o trânsito intestinal, assim como a eliminar toxinas do organismo.

Receita da Geleia de Amoras
Ingredientes
- 1 kg de amoras
- 1 kg de açúcar
- 1 limão
- vidros esterilizados para a geleia

Como Fazer

Tire os cabinhos das amoras, coloque numa vasilha de cerâmica, vidro ou porcelana; polvilhe com açúcar e deixe macerar da noite para o dia.

No dia seguinte, coloque as amoras numa panela e adicione o suco do limão.

Leve ao fogo até ferver, e deixe ferver por 5 minutos.

Passe tudo por uma peneira e volte ao fogo só o caldo, deixando ferver mais 5 minutos.

Coloque a fruta que ficou na peneira de volta, e repita a operação mais 3 vezes.

Remova a espuma que fica na superfície, retire do fogo e guarde em vidros previamente esterilizados. Deixe esfriar e feche bem.

Obs.: é importante respeitar o processo de cozinhar 3 vezes, para que as amoras não percam sua forma e fiquem só as sementes soltas na geleia.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Bananas Flambadas

Se eu adoro cozinhar, gosto mais ainda de receitas simples e rápidas, principalmente quando se trata de sobremesas, já que a confeitaria não é o meu forte.
A "Banana Flambe" é aquele tipo de sobremesa simples e ao mesmo tempo sofisticada. Na versão light, ignore o creme de leite!

Passo a passo ilustrado:
1- Numa frigideira, coloque 2 colheres (de sopa) de manteiga e 2 c.s. de açúcar mascavo.


2- Corte duas bananas, no sentido longitudinal.


3- Leve a panela ao fogo, até derreter a manteiga, e o açúcar começar a caramelizar.


4- Coloque as fatias de banana na frigideira.


5- Deixe a banana dourar e absorver o caramelo.


6- Adicione 2 c.s. de conhaque e flambe a banana, por cerca de 1 minuto.


7- Sirva com creme de leite fresco (nata), e polvilhe canela em pó.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Educação Ajuda a Reduzir o Risco de Demência

e mais...
- Aumento da Demência na Meia Idade.
- Fumantes, ou solteiros mais velhos têm maior risco de desenvolver demência.

 
Aquelas pessoas que estudam mais durante sua juventude têm menor risco de desenvolver a demência; é o que sugere um estudo recente.

No estudo publicado na revista ‘Brain’ uma pesquisa conjunta entre britânicos e finlandeses concluiu que pessoas com mais estudo são mais capazes de lidar com danos cerebrais causados por demência e assim, são menos afetadas por ela. Um ano extra de escola após terminar o ensino compulsório pode diminuir o risco de desenvolver a doença em até 11%, segundo os cientistas.

“Uma maior educação não está associada com qualquer diferença no dano ao cérebro, mas pessoas com mais estudo podem lidar melhor com o dano,” comenta Hanna Keage da Universidade de Cambridge, que trabalhou no estudo.

Isso significa que embora a educação não possa prevenir o envelhecimento físico do cérebro, ajuda sim a aumentar a habilidade da pessoa em lidar com problemas cerebrais causados pela velhice.


O grupo examinou os cérebros de 872 doadores que participaram em estudos de longa duração sobre envelhecimento, os quais incluíram informação sobre seus níveis de educação e estilos de vida.

Entre os cérebros que mostraram níveis similares de mudança associada com a demência, sujeitos com mais estudo mostraram sintomas menores da doença. Mas os pesquisadores ainda não estão certos do motivo pelo qual isso ocorre.

continue lendo...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Salada de Verão


Uma salada que mistura frutas, verduras, e o toque especial do presunto.
É um ótimo prato para um almoço leve de verão.

Ingredientes

- 6 morangos
- 1 manga
- 1 cebola roxa pequena
- 1 c.s. de mostarda
- 1 c.c. de vinagre balsâmico
- 100 ml de azeite de oliva
- 150 g de folhas verdes (rúcula, agrião)
- 100 g de presunto (copa ou outro presunto defumado)
- sal e pimenta

Como Fazer

1- Numa vasilha pequena macerar ligeiramente os morangos com uma pitada de sal.
Juntar a mostarda e o vinagre. Adicionar o azeite sem parar de mexer, até a mistura se emulsione. Temperar com sal e pimenta a gosto, e deixar na geladeira até a hora de usar.

2- Lavar as folhas verdes. Descascar e picar a cebola. Descascar, e cortar a manga em cubos. Tirar o presunto da geladeira uns 10 minutos antes de servir.

3- Montar os pratos individuais de salada: dispor as folhas, a cebola picada, a manga e o presunto; regar com a vinagrete de morangos e servir em seguida.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails