domingo, 28 de junho de 2009

Cerveja Preta

No post com a receita da Spritz Bier (gengibira) prometi a receita da cerveja preta.
Essa receita é muito popular no RS. Na minha família faz sucesso, especialmente no verão.

Essa cerveja não contém álcool (é um refresco) e não contém glúten.
Só mais uma observação, sobre as garrafas: dê preferência às de vidro; não encha até a borda; cuidado ao abrir a garrafa, pois algumas vezes a cerveja fermenta bastate e o líquido pode sair com bastante pressão.
Assim como a spritzbier, depois de provar a cerveja preta caseira, você vai querer repetir sempre!
Os ingredientes para fazer a cerveja são vendidos em um kit pronto (lúpulo, quilaya e corante) em casas de produtos naturais e lojas de produtos agropecuários.
Qualquer dúvida sobre o preparo, escreva!


Ingredientes

- 20  litros de água
- 2 Kg de açúcar
- 13 g de lúpulo
- 1,4 g de quilaya
- 140 ml de corante caramelo
- 0,14 mg (uma pitada) de fermento biológico seco


Como preparar
Em uma panela com água, ferva o lúpulo e a quilaya, por 40 minutos.

Enquanto isso, em outra panela, dissolva o açúcar em 2 litros de água, para que vire uma calda.

Coe o líquido usando um pano e despeje em um recipiente com 16 litros de capacidade e que esteja quase coberto com água, dando espaço apenas para a adição das caldas.

Adicione a calda do açúcar, o corante e mexa.

Quando o líquido estiver morno, junte o fermento, e mexa ligeiramente.

Tampe o recipiente e reserve por 48 horas.

Passadas as 48 horas, a cerveja pode ser engarrafa em garrafas 'pet' ou de vidro.

Prost!

Tempos de Crise

Uma Questão de Economia


Uma grande fatia da verba familiar é gasta com a manutenção da casa e, sendo assim, a economia e a saúde desse núcleo depende da boa administração desse dinheiro.

Em momentos de crise como o atual, quando se necessita diminuir os gastos familiares, tende-se a reduzir o gasto com alimentação e, nesses casos é muito importante conhecer bem as propriedades dos alimentos para conseguir dar à família uma dieta equilibrada e saborosa, na hora de economizar o máximo possível.

É claro que o orçamento familiar varia muito dentro da população, e muitas pessoas não deixam de consumir produtos de luxo. Mas nem sempre os produtos mais caros são os mais nutritivos ou os mais saudáveis, embora normalmente a melhor qualidade esteja relacionada com um preço mais alto. E produtos de qualidade sempre têm lugar no mercado.
Que fatores de qualidade você deve levar em conta quando for comprar um produto?

O conteúdo de componentes nutritivos, a higiene e as propriedades organolépticas, ou seja, aquelas que tornam o produto atrativo, tais como o aroma, o sabor e a textura.

Alguns alimentos são fáceis de avaliar, mas outros nem tanto. Assim, procure ler sempre os rótulos das embalagens com atenção, já que hoje em dia são muito mais informativos.

Há um princípio básico que diz que quanto menor o número de ingredientes de um alimento industrializado, maior é sua qualidade nutritiva. Cuidado com aqueles produtos que tem uma lista infindável de aditivos, entre conservantes, corantes, etc.


Por outro lado, é bom ter algumas noções de nutrição para poder montar menus equilibrados a um preço razoável.

Procure levar em conta também o fator higiene, ainda que seja meio difícil de avaliar algo que pode estar oculto, como aditivos nocivos, contaminações por manipulação ou por bactérias, etc. Mesmo assim, preste atenção na aparência das embalagens: evite latas e caixas de leite amassadas, embalagens empoeiradas, produtos com validade quase no limite, ou re-embalados, etc.

Pense bem no uso que você vai dar ao produto. Por exemplo, se comprar ovos de melhor qualidade ou tamanho maior, prepare-os para serem comidos inteiros ou fritos; mas se vai utilizá-los para outros fins culinários, pode ser adequado usar os menores, que são mais baratos.


É sempre recomendável consumir produtos da temporada.

Normalmente se aconselha evitar os produtos em conserva, mas há as exceções.

Como por exemplo, o chucrute, cujo preparo é um tanto trabalhoso, e vale a pena ser comprado pronto. Agora, se há disponibilidade de tempo e disposição, é interessante preparar algumas conservas e geléias, com legumes e frutos da estação.

As vantagens de se fazer uma conserva em casa são, em primeiro lugar, a economia e, em segundo, evitar os conservantes e o excesso de sódio. Ao contrário do que muitos possam pensar, não é difícil fazer conservas ou geléias. Pesquise, há muitas receitas simples em livros de culinária e na internet!


As técnicas de preparo dos alimentos fazem com que nem sempre seja conveniente usar alimentos frescos. Verduras, principalmente as folhas verdes, não devem ser guardadas por muito tempo, pois perdem suas propriedades nutritivas.

Evite comprar o que você não irá consumir logo. Congelar alguns legumes pode representar uma economia para o bolso no que diz respeito ao tempo e ao trabalho. Leve isso em conta na hora de decidir o que comprar!

Procure educar o paladar e os hábitos alimentares da sua família.

As crianças são muito resistentes a mudanças e sendo assim, quando chegar o momento adequado, diversifique sua alimentação e ofereça novos sabores e texturas.


A apresentação visual do prato influi muito no estímulo do paladar.


Outro problema é resistir às novidades introduzidas pela publicidade e promoções nos mercados. Muitas vezes, pressionados pelos filhos, compramos alguns alimentos que acabam não sendo os mais adequados para sua dieta, tanto por sua composição como por seu preço. Mais uma vez, leia as etiquetas e calcule se o gasto vale a pena.

Às vezes é bom variar e não cair no hábito de comprar sempre os mesmos alimentos.


Lembre-se que há muitos alimentos que podem ser preparados com antecedência e congelados, o que é muito útil se você trabalha fora e não tem tempo de cozinhar todos os dias.

domingo, 21 de junho de 2009

Quitutes para as Festas Juninas

Links de Receitas do Saúde Sem Glúten
Festas Juninas: http://bit.ly/9CTBrY

Sequilhos de Coco:http://bit.ly/bY43ib

Bolinhos de Tapioca:http://bit.ly/93qKIv

Bolo de Cenoura:http://bit.ly/9hoP6p

Artigos sobre a Gripe A

Novos artigos sobre a Gripe A (H1N1), de interesse de profissionais da área da saúde no site da revista "The New England Journal of Medicine":

H1n1 Influenza A Disease - Information for Health Professionals

Implications of the Emergence of a Novel H1 Influenza Virus

sábado, 20 de junho de 2009

O Tofu

Este site não é dedicado à receitas sem lactose, mas sei que muitas pessoas têm intolerância à lactose associada à celíase. Para a Débora, do blog Sem Glúten e Sem Lactose, para quem está de dieta, ou simplesmente gosta de alimentos saudáveis, aqui vai uma ótima dica!

TOFU

O tofu ou queijo de soja, mais popular na culinária asiática, é rico em proteínas e tem poucas calorias.

De textura e gosto suave, o tofu é obtido a partir do coalho do leite de soja.
Por isso também é conhecido como queijo de soja.



Quais as vantagens de consumir o tofu?
O tofu possui uma digestibilidade de 95%, em comparação a 65% da soja cozida.


É pobre em calorias (72 cal/100 g) e possui apenas 4,3% de gordura, sendo que cerca de 80% são insaturadas.

É livre de colesterol e é rico em ácido linoleico, que permite eliminar os depósitos de colesterol do organismo.

Se o tofu é coalhado com cloreto de magnésio natural (Nigari), pode conter 23% a mais de cálcio que o leite de vaca.

É uma boa fonte de minerais, como ferro, fósforo, sódio e potássio, bem como vitaminas do complexo B e vitamina E.


Apesar de conter quase a mesma quantidade de água que o leite de vaca (85% no tofu e 87,5% no leite), contém mais que o dobro de proteínas e de ótima qualidade (8% no tofu e 3,5% no leite de vaca).

O tofu é livre de produtos químicos tóxicos, e seu uso na culinária é fácil, rápido e variado: combina muito bem com hortaliças, massas, peixes, carnes, molhos, etc.

Molho Bechamel de Tofu
Ingredientes: tofu, sal, noz moscada, água.
Corte o tofu em pedaços, cozinhe em água fervente por 5 minutos.
Numa vasilha, amasse o tofu e tempere com uma pitada de sal e noz moscada.
Adicione água até ficar com a consistência de bechamel.
É um molho bem light, ótimo para acompanhar massas ou temperar saladas.

Creme de Morangos e Tofu
Ingredientes
- 1/2 kg de morangos
- 2 c.s. de açúcar mascavo
- 1 c.c. de canela em pó
- 1 c.c. de coco ralado
- 1/2 litro de leite de soja
- 1/2 pacote de tofu fresco


Modo de Fazer
Picar o tofu em pedaços bem pequenos.
Numa vasilha, bater todos ingredientes, até conseguir uma textura suave e cremosa.
Servir em copos individuais.
Decorar com a canela em pó e os morangos.
Para um creme mais leve e líquido, use apenas o leite de soja.

Salada de Erva-doce e Escarola

Mais uma saladinha deliciosa, para aproveitar aquelas verduras que não costumamos comer no dia-a-dia. Dá para substituir o iogurte por azeite de oliva!



Para o Molho
- 2 copos de iogurte natural
- 2 c.s. de mostarda
- 1 limão
- cebolinha verde
- sal e pimenta-do-reino

Misture o iogurte com a mostarda e o suco de limão.
Junte cebolinha picada e tempere com sal e pimenta a gosto.
Reserve, na geladeira.

Para a Salada
- 350 g de cogumelos frescos
- 1 escarola
- 1 erva-doce
- 1 maço de rabanetes
- 1/3 xíc. de passas brancas
- 1 limão

Limpe os cogumelos com papel toalha, corte-os em fatias finas e deixe de molho em suco de limão.
Lave e escorra as folhas da escarola.
Mergulhe as passas numa vasilha com água fervente por 5 min.
Corte a erva-doce em fatias bem finas, no sentido longitudinal, e os rabanetes em rodelas finas.
Em uma saladeira grande, misture os ingredientes.
Sirva com o molho à parte.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails