sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Saúde e Urbanização

Nos últimos meses a população de Porto Alegre vem discutindo o plano de urbanização da cidade, devido aos polêmicos projetos de ocupação da orla do lago Guaíba.

A capital gaúcha tem sorte de ainda contar com uma grande área verde, com muitos parques e praças. Mas os problemas ambientais e urbanísticos não são poucos: a poluição do Guaíba, a pouco organizada construção de edifícios comerciais e residenciais.
Muitos profissionais (arquitetos, engenheiros e ambientalistas), desfavoráveis à liberação da construção de prédios comerciais à beira do lago, temem que se abra um perigoso precedente para futuros empreendimentos imobiliários do mesmo porte.
Ficou claro que o plano diretor da cidade tornou-se flexível demais, mas até que ponto se pode conter o desenvolvimento de uma cidade?


Não apenas Porto Alegre, mas todas as grandes cidades do país enfrentam sérios problemas com o crescimento desordenado.

Saneamento básico, transporte, saúde, habitação, são algumas das peças do quebra-cabeça que os gerenciadores das metrópoles têm de encaixar com a maior precisão possível para manter seus habitantes felizes e saudáveis.


*Em 2008 a proporção da população mundial vivendo nas áreas urbanas ultrapassou a marca dos 50%.

No país mais populoso do mundo, a China, mais da metade das pessoas estarão vivendo nas cidades, em menos de uma década. Essencialmente, daqui em diante, todo o crescimento populacional do mundo se dará nas cidades: projeta-se que a população urbana será de 4.9 bilhões até 2030, um aumento de 1.6 bilhões, enquanto que a população rural encolherá em 28 milhões.


Essa transição está ocorrendo de modo caótico, resultando numa paisagem urbana desordenada. Embora muitos possam encarar a urbanização como um sinônimo de melhoria da qualidade de vida, isso não é a realidade para muitos, especialmente os mais pobres, que são absorvidos pelos aglomerados de favelas. Na verdade, a urbanização se tornou um risco à saúde para as populações mais carentes e essa mudança demográfica ameaça se transformar num desastre humanitário.


A ameaça vem tanto na forma do aumento nas taxas de doenças endêmicas, e do maior potencial das epidemias e pandemias – o que estamos vivendo agora mesmo no Brasil, com a gripe A, a dengue, a meningite e a febre amarela.

Para proteger a saúde global, governos e agências internacionais devem fazer alterações consideráveis em planejamento e programas, baseando todas as mudanças em pesquisas epidemiológicas e operacionais sólidas.


A maioria das pessoas sai do campo e migra para a cidade em busca de emprego, embora existam outras motivações, como os desastres naturais e os conflitos armados. Como moradia, a maioria dos migrantes encontra solução apenas nas ocupações ilegais ou irregulares, sem o mínimo de infraestrutura pública.

Segundo dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (http://www.pnud.org.br/home/), 43% dos residentes em áreas urbanas de países subdesenvolvidos como o Brasil e a Índia, e 78% daqueles vivendo em países ainda mais pobres, como Haiti e Etiópia, vivem em favelas. Essas favelas, maiores responsáveis pelo crescimento urbano, carecem não apenas dos serviços básicos municipais, como de reconhecimento político. Moradores que têm sua presença tolerada, mas suas necessidades mais básicas são ignoradas pelos governantes.


O paradigma atual da saúde pública mudou, não estando mais restrito a lesões, poluição e doenças crônicas. O incremento da densidade populacional sem o suprimento de água potável apropriado tem sido responsável pelo aumento no risco das doenças transmissíveis. A mortalidade entre crianças com menos de cinco anos é maior em favelas urbanas do que nas ocupações rurais.


Ainda não se conhece o suficiente sobre as favelas para que se possam planejar intervenções focadas nos problemas de saúde de suas populações. No mundo, em geral, estatísticas de saúde não incluem os habitantes dessas áreas. E exatamente essas áreas urbanas mais pobres do mundo têm sido o criadouro de muitas doenças contagiosas, e potenciais pandemias.


Levar saúde até as populações urbanas carentes é um modo simples de se resolver muitos problemas, desde que seguidos planos efetivos. Serviços públicos fundamentais como vacinação e saneamento básico, acompanhados de treinamento de pessoal, como enfermeiros e parteiras, são altamente recomendados para atender essas comunidades.
*dados do artigo “Urbanization – an emerging humanitarian disaster” Patel, R.B. et all; NEJM, 20 agosto 2009.

Docinho de Melancia e Coco

Duvido alguém achar uma sobremesa mais fácil de se fazer!
Ótimo para acompanhar aquele peixinho frito no verão.


- 1 melancia pequena

- 200 g de coco ralado


Tire as sementes da fruta e, com uma colher apropriada, faça bolinhas.
Deixe-as sobre uma peneira para tirar o excesso de água.
Envolva as bolinhas de melancia com o coco ralado. Disponha-as em forminhas individuais e espete um palitinho em cada uma.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Hamburguer de Camarão

Ingredientes
- 1 kg de camarão rosa congelado
- 1 pimenta malagueta (pequena)
- 3 dentes de alho
- 1 molho de coentro
- pimenta preta (moída na hora)
- 1 ovo
- sal
- ½ colher de óleo


Como Fazer
Descongele o camarão e pique-o finamente.

Limpe a malagueta e corte em tiras finas.

Descasque o alho. Lave e pique o coentro.

Esmague o alho, juntamente com a malagueta e o coentro, acrescentando um pouco de sal e pimenta.

Numa vasilha, coloque a mistura anterior e incorpore o camarão picado e o ovo batido, misturando bem até obter uma massa consistente e homogênea.

Faça hamburgueres fininhos e frite-os numa frigideira antiaderente durante 1-2 minutos.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Panquecas sem glúten e sem lactose

- achei essa receita num site português, e nos ingredientes, não sei se a farinha de castanha é de castanhas portuguesas, mas imagino que possa ser substituida por nossa castanha, ou outra farinha similar.


Ingredientes
- 1 xícara de farinha de castanha (peneirada)
- 1 xícara de farinha de arroz
- 4 colheres de sopa de amêndoa ou avelã moída
- 1 e 1/2 xícara de leite de arroz ou de leite de coco
- 1 colher de café de óleo
- 1 pitada de sal

Como Fazer
Misture todos os ingredientes.
Aqueça uma frigideira untada com óleo e, com uma concha, derrame pequenas porções de massa.
Cozinhe as panquecas por 2/ 3 minutos de cada lado, até ficarem ligeiramente douradas.
Sugestão: Pode juntar-se à massa uma maçã descascada e ralada muito fina.

Raspadinha de Limão

Que o verão chegue logo, para poder beber um suco bem geladinho, como os famosos "smoothies", a nossa raspadinha. Meu favorito é o de groselha, mas esse de limão também entra na lista. Queria ter uma máquina em casa, mas dá pra fazer à mão mesmo, assim:




- 1/2 litro de água


- 300 g de açúcar


- 300 ml de suco de limão


Leve ao fogo, numa panela, a água com o açúcar.
Quando ferver, tire do fogo e deixe esfriar.
Adicione o suco de limão, misture bem, e leve ao congelador.
Misture a cada 15 a 20 min., para não formar blocos de gelo.
Quando estiver gelado, sirva em copos com canudinhos, enfeitados com rodelas de limão.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Previna-se da Osteoporose

Uma das doenças associada à celíase é a osteoporose. Devido à perda de nutrientes, a perda de massa óssea pode ter início ou ser agravada, se a pessoa não for diagnosticada a tempo ou não seguir corretamente a dieta sem glúten.


Além disso, é normal a perda de massa óssea com a idade, devido ao desequilíbrio no pH corporal, a chamada acidose metabólica.
Para evitar que isso ocorra, é aconselhável reforçar o consumo de certos alimentos, tanto ácidos, como alcalinos.


Introduza em sua alimentação diária alimentos alcalinos como abacaxi, banana, melão, melancia, uva, ameixa, cenoura, agrião, espinafre, couve-flor, brócolis e pepino.

E os alimentos ácidos que você deve consumir com freqüência são carne vermelha, porco, frango, peixes, o kiwi e, obviamente, o vinagre.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Salmão com Bacon

Aproveite que o salmão está barato e faça esse prato rápido!
É um peixe muito saudável, por ser rico em ômega-3.


Salmão com Bacon
(2 porções)

- 2 filés (ou postas) de salmão

- 4 tiras finas de bacon
- 2 raminhos de tomilho fresco
- azeite de oliva
- sal e pimenta

É super simples: aqueça o forno a 200°C. Tempere o peixe com pimenta e pouco sal (moídos na hora). Embrulhe cada pedaço de salmão em duas tiras de bacon. Coloque o tominho por debaixo do bacon. Pincele com um pouco de azeite de oliva e cozinhe no forno (ou forma tipo grelha) por 15-20 minutos, até o peixe estar cozido e o bacon dourado.


Bolo de Abobrinha

Um bolo surpreendente por sua maciez e doçura!


Ingredientes

- 100 g de manteiga (sem sal)
- 200 g de açúcar confeiteiro (ou refinado)
- 2 ovos
- 1 abobrinha pequena
- 1 maçã pequena
- 200 g de farinha de arroz
- 1 pitada de sal
- 1 colher se sopa de fermento químico
- 1 pitada de canela
- 60 g de nozes
- ½ xíc. de passas (sem sementes)


Como Fazer

Pré-aqueça o forno a 180°C.
Unte e polvilhe uma fôrma de bolo inglês.
Bata a manteiga com o açúcar até ficar um creme leve e fofo.
Bata os ovos e misture-os ao creme, um a um, cuidando para que cada um fique bem incorporado antes de adicionar o próximo.
Pique a abobrinha e a maçã grosseiramente.
Aperte com as mãos para remover o excesso de água, e adicione à mistura.
Junte a farinha de arroz, o fermento, o sal e a canela, misturando delicadamente.
Misture as nozes picadas e as passas.
Coloque na fôrma e leve ao forno por cerca de 50 min., ou até que fique firme ao toque.
Deixe esfriar antes de desenformar.


Abobrinhas Grelhadas (com ricota e tomates)

A abobrinha é um dos legumes mais versáteis que existem. Há uma variedade de receitas que tem como base as abobrinhas que, por seu sabor suave, pode ser combinada com os ingredientes mais diversos.
Abobrinhas Grelhadas (com ricota e tomates)
Ingredientes

- 500 g de abobrinhas
- azeite de oliva
- 5 cebolinhas
- 750 g de tomates
- folhas de manjericão fresco
- 250 g de ricota

Pré-aqueça o forno a 180°C.

Lave bem e corte as pontas das abobrinhas e então as corte no sentido do comprimento, em fatias finas.
Pincele-as levemente com azeite de oliva e leve para grelhar, ambos os lados, até ficarem macias.
Disponha num prato e tempere com sal e pimenta-do-reino e , se desejar, um pouco mais de azeite de oliva.
Pique as cebolinhas e refogue rapidamente com um pouco de azeite.

Corte os tomates em pedaços médios, misture às cebolinhas e deixe cozinhar em fogo baixo, até formar um molho.
Tempere com pimenta e as folhas de manjericão.
Num prato refratário não muito fundo, faça camadas com o molho de tomates, as abobrinhas e a ricota esmigalhada.

Derrame um fio de azeite de oliva e leve ao forno até o molho de tomates borbulhar.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

O custo da comida para quem é celíaco

Reportagem do jornal americano NYTimes (14 agosto 2009) fala sobre a dificuldade do diagnóstico da celíase pelos médicos, a mudança na dieta das pessoas que descobrem ser celíacos, e dos custos elevados dos produtos "sem glúten" industrializados.


leia um trecho da matéria: “The drug makers have not been interested in celiac because, until very recently, there have been no medications to treat it,” said Dr. Peter Green, director of the Celiac Disease Center at Columbia University. “And since drug makers are responsible for so much of the education that doctors receive, the medical community is largely unaware of the disease.”

leia a matéria completa aqui:
http://nyti.ms/2iWcXQ

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Salmonelose


Dez dicas para evitar a contaminação com a salmonella


Uma das infecções alimentares mais comuns, principalmente no verão, é provocada por uma bactéria chamada salmonella enteritidis e que tem como sintomas dor abdominal, febre, dor de cabeça, diarreia, vômitos, etc.

Esses sintomas nada agradáveis e que debilitam o organismo, aparecem de 12 a 72 horas após a contaminação.

Os alimentos mais relacionados com a infecção são os ovos ou comidas que contenham esse ingrediente.

Mas qualquer alimento de origem animal, ou contaminado com fezes animais pode apresentar a salmonella. Por isso é importante consumir alimentos bem cozidos, já que a bactéria não resiste ao processo de cozimento.


Para se prevenir da salmonelose procure seguir essas recomendações simples:


1. Compre ovos com a casca intacta e limpa, de preferência procedentes de granjas controladas pelas autoridades sanitárias.

2. Observe e respeite a data de validade dos ovos, impressa na embalagem do produto.

3. Não lave os ovos antes de guardá-los no refrigerador, você pode lavá-los pouco antes de consumi-los. Nunca deixe os ovos, ou alimentos que os contenham em temperatura ambiente.

4. Não quebre os ovos na borda do recipiente onde vai batê-los, para evitar qualquer tipo de contaminação.

5. Não separe as claras das gemas com a própria casca do ovo.

6. Embale bem as tortas e outras sobremesas que contenham ovos e mantenha refrigeradas até o momento do consumo.

7. Prepare a maionese caseira com o máximo de higiene e conserve-a na geladeira até seu consumo.

8. Conserve no refrigerador produtos como tortas, molhos, cremes, natas e consuma-os até no máximo 24 horas após seu preparo.

9. Evite o contato de alimentos crus ou pouco cozidos com alimentos prontos para comer, já que pode acontecer uma transferência de microorganismos de um alimento para o outro (contaminação cruzada).

10. Lave bem as mãos com água corrente e sabão, antes de manipular os alimentos.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Almanaque de Culinária


Para tirar as escamas do peixe com cuidado, use uma colher.


Para fazer cubos de gelo mais transparentes, use água fervida – deixe esfriar antes de levar ao congelador.


Para manter a forma do bacon e melhorar o seu sabor, aplicar farinha misturada com leite antes de fritar.


Para melhorar o sabor e cheiro da lula, adicione um pouco amido em seu cozimento.


Para melhorar o sabor dos frutos imaturos, preservá-los com maçãs em um saco plástico.


Para cortar o pão de fôrma, aquecer uma faca antes de cortar (o mesmo vale para ovos cozidos).


Para impedir que os ovos rachem enquanto cozinham, adicione algumas gotas de vinagre à água.


Para refrescar alface ou aipo murchos, mergulhe-os em água com algumas fatias de batata.


Para manter a carne fresca, pincele com óleo e embrulhe antes de colocá-la na geladeira.


Para fritar croquetes sem quebrá-los, resfrie-os na geladeira antes de empaná-los.

Salada de Pepino com Algas (Sunomono)


Pepinos em conserva são ótimos acompanhamentos para o almoço ou lanche.
Só que as conservas industrializadas são muito salgadas, por isso gosto de fazer em casa, com um tempero mais asiático (vinagre de arroz, açúcar, sal, gengibre) que é mais saboroso e menos enjoativo.
Normalmente faço o pepino acompanhado de cenouras, ou de rabanetes.
Costumo comer essa conserva todos os dias, no almoço, e nunca mais fiquei resfriada, e a rinite alérgica que me incomodava tanto no inverno, desapareceu.
Na receita abaixo não vai gengibre, mas eu colocaria no lugar do glutamato.
Essa receita com algas parece ótima também, e é bom para variar o sabor.
Sunomono é como são denominados, pelos japoneses, os pratos que têm como base o vinagre.
O sunomono de pepino é o mais comum e apreciado, mas pode levar outros legumes ou peixes.


Salada de Pepino com Algas (Sunomono)

Ingredientes
- 2 pepinos (tipo japonês ) cortados em rodelas bem fininhas
- 3 g de wakame (alga marinha) cortado em tiras de 3cm
- 2 c. c. de sal
- 3 c. s. de açúcar
- 1 pitada de glutamato monossódico
- 6 c. s. de vinagre de arroz
- 1/2 pacote de kani-kama (125 g)
- 2 c. c. de hondashi (caldo de peixe)


Misture os pepinos já cortados com 1 colher de café de sal.
Deixe descansar por 15 minutos.
Deixe o wakame de molho na água até hidratar e dobrar de volume.
Depois escorra a água, esprema-os e reserve-os.
Desfie o kani-kama e reserve.
Prepare o tempero misturando o sal, açúcar, glutamato (ou 1 c.s. de sumo de gengibre fresco), vinagre e hondashi, até que esteja tudo bem diluído.
Acrescente neste tempero o pepino, o wakame e o kani-kama, misturando-os delicadamente.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Salada de Frutas (com creme de limão)

Para aproveitar as frutas cítricas da estação, como laranja e limão, que tal uma salada de frutas especial, com creme de limão?

Selecione 2 laranjas bem doces, 2 peras, 1 xíc. de mirtilos.
Corte as frutas (peras e laranjas) no tamanho desejado.

Para o creme de limão, separe 1 limão, 2 ovos, 10 g de manteiga (sem sal), 100 g de açúcar e 200 ml de nata.

Lave bem o limão, rale a casca e esprema o suco.
Numa vasilha inox, misture o suco do limão com os ovos, junte o açúcar e a manteiga derretida.

Coloque a vasilha em banho-maria, mexendo bem até o creme ficar espesso e liso.
Deixe esfriar, mexendo de vez em quando.
Bata levemente a nata para ficar mais consistente.
Misture com o creme de limão.

Monte os pratos, dispondo um pouco do creme e, sobre ele, as frutas e, por fim, enfeite com os mirtilos.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Consumo moderado de maionese

NEWS!

A Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) alerta sobre a presença de aditivos alimentares nocivos à saúde nas maioneses produzidas no Brasil.
Leia o artigo completo aqui:
http://tinyurl.com/ktj2sb


Receitas de maionese caseira:
http://bit.ly/bcBfgW

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails