terça-feira, 22 de julho de 2008

Panquecas de Maisena e Espetinhos de Frutas


Panquecas de Maisena
Ingredientes
- 6 ovos
- 1 c.s. de maisena
- 250 g de cream cheese
- 2 c.s. de cebolinha picada
- 4 hastes de cebolinha
- 2 fatias de queijo
- 2 fatias de presunto
- 100 g de salmão defumado
- maionese e mostarda

Modo de preparar
Junte os ovos, a maisena e 3 c.s. de água, e bata muito bem.
Numa frigideira anti-aderente, faça 4 panquecas com a massa.
Recheie duas com cream cheese, cebolinha e salmão; as outras duas com maionese, mostarda, presunto e queijo.
Enrole as panquecas e amarre com as hastes de cebolinha.

Dica: Guarde na geladeira, num pote bem tampado, para consumir no dia seguinte. Para quem tem de almoçar fora de casa, é uma refeição hipocalórica e prática!

Espetinhos de frutas
Para ser saboreado como snack ou sobremesa

Ingredientes
- 1 maçã
- 1 limão
- damascos secos, ou goiabada
- queijo minas sem sal
- palitos de dente

Lave bem a maçã e, sem tirar a casca, corte em cubos e regue com suco de limão.
Corte o queijo e a goiabada em cubos.
Faça os palitinhos, com a maçã, o queijo, a goiabada (ou damascos, ou marmelada).
Guarde num saco plástico na geladeira. Leve para o lanche no trabalho.
Dica: para um toque mais sofisticado, acrescente cubos de queijo cammembert.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

A Pílula da Cura

Longe da resposta?


Um artigo publicado no site da “National Foundation for Celiac Awareness” descreve uma pesquisa em andamento, de um laboratório norte-americano, com um remédio que promete proteger os celíacos contra pequenas quantidades de glúten.

O que isso significa, em termos práticos? Proteger as pessoas que têm alergia ao glúten da eventual (acidental) ingestão de glúten, como, por exemplo, de alimentos “contaminados” com essa proteína.
E que quantidade seria essa? Cerca de 2,5 gramas de glúten, apenas!

Assim, com essa droga, configura-se uma tentativa de proteger os indivíduos dos efeitos nocivos à saúde, principalmente a longo prazo.

Os testes com o remédio encontram-se numa fase adiantada, isto é, estão sendo testados em pacientes voluntários, submetidos a uma dieta controlada com glúten (na verdade, pílulas de glúten), e tratados com o remédio (chamado de AT-1001), para comprovar sua eficácia na prevenção a danos ao intestino.

Como funcionaria o AT-1001?
O AT-1001 é um peptídeo, ou seja, consiste de aminoácidos naturais que são fragmentos de proteínas. Quando ingeridas, essas moléculas peptídicas são quebradas naturalmente no intestino, formando uma espécie de pomada tópica que cobre o tecido interno do órgão e, como resultado desejado, impediriam o glúten de penetrar nas paredes do intestino.

Novamente é preciso ressaltar que este remédio funcionaria apenas para pequenas quantidades de glúten ingeridas (até 2,5 g por dia). Isto porque os cientistas podem conseguir controlar os efeitos de uma ínfima dosagem de glúten, mas não podem alterar a genética do organismo humano.
Portanto, mesmo que o AT-1001 seja aprovado futuramente, os celíacos terão de persistir em sua dieta livre do glúten para manter-se saudáveis.

A conclusão é que essa droga poderá ajudar em dois aspectos: prevenir complicações futuras e evitar indisposições causadas pelo consumo acidental do glúten.

Para ler a reportagem completa (em inglês):

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails