quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cuidados Com Os Alimentos Industrializados II

Parte 2 – Comer fora x Comer em casa

Durante anos, ninguém tinha noção de que existia, ou o que era a tal da ‘gordura trans’ presente em grande parte dos alimentos industrializados que consumimos. Quantos pacotes de bolacha recheada devorados, que pecado!

Hoje em dia, muitos devem pensar que o pior passou, já que todas novas embalagens avisam: livre de gordura trans! Mas como as bolachas continuam crocantes, e os pães tão macios?! Acontece que a gordura trans foi substituída, em muitos casos, pelo óleo de palma, uma gordura saturada que não faz nenhum bem para a saúde. É trocar o ruim pelo mau.

A verdade é que não há desculpa para a indústria alimentícia mundial não ter trocado a gordura trans por gorduras mais saudáveis, como o óleo de canola, que tem 8% de gordura saturada, comparado aos 55% do óleo de palma. Muitas vezes o óleo de palma aparece rotulado genericamente como “óleo vegetal”. Ao encontrar esse tipo de rotulagem é bom desconfiar!

As pessoas têm comprado óleos mais saudáveis para consumir em casa, mas poucas empresas alimentícias têm seguido o exemplo. A indústria pode tentar justificar pelo fator custo, mas qual é o preço de nossa saúde?

Outra grande preocupação é a quantidade de gordura que consumimos ao comer fora, em restaurantes e lanchonetes, e que não está visível em rótulos ou menus.
Procuramos ser tão criteriosos ao escolher os alimentos no supermercado, mas muitas vezes não fazemos idéia do que estamos comendo num restaurante. Pode-se dizer que há uma ignorância generalizada sobre o que nos está sendo servido.

O consumo diário de gorduras saturadas e trans, combinadas, não devem ultrapassar os 10%.

Nos últimos anos, o apelo por comida saudável tem levado as grandes redes de ’fast food’ a adotar uma postura mais politicamente correta, por assim dizer.
Oferecer lanches com menos gordura, bebidas ‘diet’, saladas, etc. têm sido a estratégia dos restaurantes para atrair um público preocupado com uma dieta mais saudável.

Entretanto, pesquisas comportamentais mostraram que a oferta de alguns alimentos saudáveis serve apenas, na maioria dos casos, para fazer o consumidor cair em tentação e fazer a escolha errada.


O mesmo acontece com vários alimentos industrializados, como salgadinhos e doces em geral, que têm sido reformulados para parecer mais nutritivos, mas no final das contas continuam com a mesma quantidade de calorias que o original.
As ‘águas flavorizadas’ tão em moda atualmente (que não passam de refrigerantes) são um bom exemplo de como a promoção de um produto pode confundir o consumidor.
continue lendo...

- Não basta prestar atenção no tipo de gordura existente no alimento, é importante também ver o conteúdo total de gorduras.


- Não esqueça que os produtos de padaria também contêm gordura saturada! E carnes e alimentos derivados do leite contêm naturalmente pequenas quantidades de gordura trans.


- As gorduras trans não são essenciais à nossa alimentação e estão relacionadas às doenças cardiovasculares. Seu consumo, em qualquer quantidade, pode contribuir para o aumento no risco de desenvolver doenças do coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails