segunda-feira, 12 de março de 2012

Por que as 'Monodietas' Não Funcionam


Comer, durante um determinado período, somente um tipo de alimento. Este é o fundamento principal das chamadas 'monodietas', que prometem ser de grande ajuda no emagrecimento rápido.

Assim, surgem dietas absurdas, como a do melão, do grapefruit, da alcachofra, etc. E são absurdas no sentido de que, embora até possam num primeiro momento ajudar a perder peso, trata-se de regimes realmente contrários ao bem estar do organismo e da saúde.

Estes são alguns dos principais motivos pelos quais uma ‘monodieta’ nunca é uma alternativa a levar-se em conta na hora de manter o corpo em forma:

- O motivo fundamental é que essas são dietas desequilibradas, que não fornecem as quantidades necessárias de macronutrientes, vitaminas e minerais ao organismo.

- Além do mais, ao finalizar a dieta, se estimula a ingestão excessiva de alimentos, o que leva novamente ao ganho de peso (o famoso efeito ioiô). Em muitas ocasiões se ganha muito mais do que se perdeu, com a mesma rapidez.

- São dietas monótonas, muito chatas, e que acabam sendo muito difíceis de serem seguidas.

- Não ajudam em absoluto a formar bons hábitos alimentares.

- Têm conteúdo calórico muito baixo e provocam uma sensação de fome, que resulta em verdadeira agonia para quem as segue.


Dietas para perder peso: quais requisitos devem cumprir?

Há para todo gosto... No entanto, para que uma dieta seja realmente eficaz e, sobretudo saudável, deve reunir uma série de condições:

- A da sopa, do damasco, da alcachofra, das proteínas, das 1.000 calorias... Dietas para emagrecer, existem às dezenas. Quem precisa estar sempre de olho na balança, sabe de cor essa estória. No entanto, por existirem não quer dizer que sejam válidas, ou saudáveis (grande parte nem ao menos se baseia em critérios científicos). E para que um regime seja efetivo e não represente nenhum risco para o organismo, deve cumprir com uma série de requisitos.

Os requisitos principais são (em linhas gerais):

- Em primeiro lugar, procure sempre por uma perda de peso gradual, paulatina, moderada. Para isso, sem incorrer em déficits nutricionais, habitualmente se necessita ingerir entre 20 e 25 calorias por kg de peso real. Por exemplo, uma mulher de 80 kg necessitaria aproximadamente de 1.600 a 1.800 calorias, dependendo do exercício físico que realize. Se a pessoa consumir menos, pode haver deficiências de proteínas, vitaminas ou minerais,
 que, em longo prazo, podem causar problemas médicos e uma recuperação mais rápida do peso perdido. Este último aspecto é muito frequente, já que as dietas excessivamente pobres em calorias fazem perder proteínas musculares e baixam tanto a taxa metabólica que se produz um efeito rebote.

- Além disso, o fornecimento equilibrado de nutrientes é muito importante para poder perder peso de forma sã, e é por isso que os diferentes nutrientes devem ser repartidos nos distintos grupos alimentares.


- Necessitamos de um mínimo de hidratos de carbono diários para o funcionamento correto do sistema nervoso (cérebro, nervos) e para o funcionamento correto do coração e das células sanguíneas (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Aproximadamente entre 40% e 50% das calorias de uma dieta devem ser fornecidas pelos hidratos de carbono.

Esses se encontram nos grupos alimentares que não podem deixar de ser consumidos, como:

-Cereais (trigo, aveia, centeio, cevada, etc.) e seus derivados (massas, pães, cereais do café da manhã, etc.). No caso dos celíacos, os substitutos conhecidos, como farinha de arroz, milho, quinua, etc,
-Arroz,
-Tubérculos (batata),
-Legumes,
-Também contêm pequenas quantidades de hidratos de carbono,
as verduras e as frutas,

- As bebidas açucaradas e outros doces também contêm hidratos de carbono (açúcar), mas não são aconselháveis nas dietas para perder peso.


Entre 10 e 20% das calorias da dieta devem ser fornecidas pelas proteínas. Os alimentos mais ricos em proteínas são a carne, o peixe, os ovos, o queijo e as frutas secas.

De 30 a 35% será fornecido pela gordura. Este último nutriente é o que mais deve ser restringido, embora muitas dietas pouco científicas ou pouco comprovadas sustentem o contrário. Mas há de se levar em conta que nem todas as gorduras são iguais.

- É muito importante manter esta divisão equilibrada de nutrientes fornecidos pelos diferentes grupos alimentares. Isso significa que, se queremos perder peso, longe de nos fixarmos em regimes baseados em apenas uma classe de produtos, devemos apostar em dietas que contenham uma grade variedade de alimentos (nas quantidades adequadas, é claro) e, na medida do possível, evitar ser ‘autodidatas’ e procurar os médicos e os nutricionistas, que nos ajudarão a alcançar nosso objetivo. Apenas um profissional da área da saúde é capaz de estabelecer a dieta adequada para cada indivíduo, com os valores de calorias necessários para um emagrecimento eficaz, e ao mesmo tempo saudável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails