domingo, 15 de agosto de 2010

O Curry Pode Ajudar no Tratamento do Alzheimer

Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, descobriu, através de um experimento raro envolvendo células humanas, que uma substância química do curry pode ajudar a tratar do mal de Alzheimer.

A equipe de pesquisa liderada pelo Dr. Milan Fiala disse que a substância ‘curcumina’ ajuda a reforçar a capacidade imunológica do sistema para combater a doença.

O resultado da pesquisa foi publicado na PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America).

A curcumina é um colorante amarelo presente no curry e ganhou muita atenção por sua reputação em combater o Alzheimer.

Segundo o Dr. Fiala, “A curcumina pode ajudar a tratar o Alzheimer ao reforçar a habilidade do sistema imunológico de ingerir uma proteína anormal que comprime as células cerebrais. Como as bactérias que formam as placas nos dentes, a proteína anormal beta-amilóide forma placas no cérebro, avariando os neurônios. É assim que o Alzheimer se desenvolve.”

Os pesquisadores extrairam células macrofágicas de pacientes com Alzheimer, que devoram resíduos no sangue, como patógenos e beta-amilóide. Depois trataram as macrófagas com uma droga derivada da curcumina e descobriram que as células tratadas melhoraram sua ingestão de beta-amilóides.

Segundo o Dr. Fiala, no experimento foi usada uma droga derivada da curcumina, por isso não está claro ainda o quão efetiva pode ser a curcumina natural no tratamento do Alzheimer. Estão sendo planejados mais estudos, incluindo testes clínicos com pacientes que sofrem de Alzheimer.

O Dr. Baik Hyun-wook, do Departamento de Gastroenterologia do Hospital de Bundang Jesaeng comenta: “A curcumina é largamente conhecida por suas propriedades antiinflamatórias e antioxidantes.”

Alzheimer ‘ligado ao tamanho da cabeça’
continue lendo...
 
Um estudo sugere que pessoas com cabeças menores têm uma maior chance de desenvolver o mal de Alzheimer do que aquelas com cabeças maiores.
 
O Dr. Hong Chang-hyung, neuropsiquiatra do Centro Médico da Universidade de Ajou, conduziu uma versão coreana do “Mini Mental State Examination” (K-MMSE), que diagnostica a doença de Alzheimer. Foram examinados 1.902 idosos (com mais de 60 anos) na Província de Gyeonggi, entre outubro de 2005 e março de 2007. Os indivíduos foram divididos em grupos de acordo com a circunferência de suas cabeças, e foram dados pontos.

Os resultados do teste K-MMSE aparecem como pontos, e quanto menores os números, maior a chance de desenvolver o Alzheimer. Um resultado mais baixo que 19 pontos é uma clara indicação de Alzheimer, enquanto 20 a 23 pontos significa a possibilidade de ser afetado pela doença. Um resultado de mais de 24 pontos significa que não há sinal de Alzheimer.

As pessoas no estudo com circunferências da cabeça medindo menos de 53 cm pontuaram uma média de 20.5. Aquelas com circunferências entre 53 e 54 cm pontuaram 21.2, enquanto que as pessoas com cabeças medindo entre 54 e 54.6 cm pontuaram 21.7. Aquelas com cabeças maiores que 56 cm pontuaram 23.6, que foi o mais próximo da normalidade.

Nenhuma pessoa cuja cabeça media menos de 53 cm pontuou menos de 19 pontos e nenhuma com cabeças maiores que 56 cm pontuaram mais de 24, pois tanto pessoas saudáveis quanto pessoas com Alzheimer foram misturadas nos grupos respectivos.

“A circunferência da cabeça é um índice indireto que possibilita estimar o tamanho do cérebro de uma pessoa,” diz o pesquisador. “Quanto menor o cérebro, mais facilmente o Alzheimer se desenvolve se os beta-amilóides e outras toxinas se acumulam.” As descobertas foram publicadas no “American Journal of Geriatric Psychiatry”.

A circunferência da cabeça de uma pessoa não é proporcional ao tamanho de seu rosto. Pessoas com rostos grandes podem ter circunferências cranianas menores do que pessoas com rostos menores. A circunferência craniana mede o quanto a parte de trás da cabeça de uma pessoa se projeta para fora, e não o tamanho do rosto desta. A cabeça de uma pessoa pára de crescer entre as idades de 10 a 12 anos, assim as medidas exatas da circunferência craniana podem ser tiradas apenas depois da pessoa estiver ao menos no final do ensino fundamental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails