quinta-feira, 26 de agosto de 2010

As Algas Na Culinária


Nori, kombu, wakame... Muitas das mais de 10 mil variedades de algas que existem no mundo são comestíveis e têm propriedades interessantes para a saúde... E para manter a forma!

Seu uso na gastronomia oriental está totalmente difundido e, embora o ocidente não tenha uma grande tradição no uso das algas na cozinha, o certo é que cada vez mais existe um interesse e uma aceitação maior deste ingrediente (e em geral é relacionado com as receitas saudáveis de países como o Japão, China, Coréia, etc.).


Mas cuidado, porque nem todas as algas são comestíveis, e nem todas são igualmente benéficas para todo mundo. Há alguns fatores a se levar em conta com relação ao consumo deste alimento, e que podem trazer um toque original aos seus pratos.

No mundo existem mais de dez mil variedades de algas, que habitam principalmente as águas salgadas de mares e oceanos, muitas delas comestíveis.
As algas são uma excelente fonte de fibras - contribuem para aumentar a sensação de saciedade, e têm efeitos benéficos para o sistema digestivo.

Também é uma boa fonte de minerais. O cálcio e o ferro tendem a se acumular em maiores níveis nas algas, do que nas plantas terrestres.

Assim, por exemplo, uma porção de 8 gramas de alga kombu seca proporciona mais cálcio que uma xícara de leite e uma porção de alga dulse contém mais ferro que um filé de novilho de 100 gramas.

Algumas variedades são ricas em proteínas e, além disso, contêm quantidades muito pequenas de gordura, resultando num complemento muito útil para uma dieta hipocalórica.


As algas comestíveis podem ser consumidas sem perigo, mas deve-se ter cuidado com algumas variedades cujos níveis de sal, iodo ou metais pesados podem ser prejudiciais à saúde.

Além do mencionado sushi, as algas podem ser usadas em muitos outros pratos da culinária.


Experimente algas secas esmigalhadas sobre arroz, batatas assadas ou saladas. Adicione em sopas, caldos, cozidos e molhos. Ou empanada, com ovos.

As algas usam a luz solar para fotossintetizar seu próprio alimento, mas têm uma estrutura bem mais simples que a maioria das plantas terrestres.

São comercializadas secas, e entre as mais comuns temos:

- O Nori, muito usado, por exemplo, no Japão para envolver o famoso sushi.


- O Kombu e o Wakame são dois tipos de algas também utilizadas frequentemente na cozinha oriental para dar sabor a molhos e sopas.

- As algas verdes, como a ‘alface do mar’ (Ulva lactuca) e o ‘musgo da Irlanda’ (Chondrus crispus), que crescem nas costas da Grã Bretanha, Irlanda e Escandinávia (podem ser consumidas cruas em saladas, ou cozidas em forma de sopa).


- Outras algas que também são comestíveis são o hijiki, wrack, dulse...

leia o artigo completo...

Algumas Algas Comestíveis Famosas

NORI (ou lava)

A alga Nori é rica em iodo e ferro e tem alto teor de proteínas.
É uma boa fonte de vitaminas C e A, potássio, magnésio e riboflavina (B2). E, além disso, tem poucas calorias!

É uma parte importante da culinária japonesa, chinesa e coreana, e é uma indústria que movimenta milhões de dólares. A alga Nori costuma ser vendida em folhas finas ou flocos. É a alga usada para enrolar o sushi.

Porphyra umilicali é um tipo de alga muito usada nas culinárias irlandesa e escocesa. Em Wales se faz o famoso “lava bread” com essa alga.


A alga Nori Japonesa é uma planta similar; há muitas algas similares disponíveis.

CARRAGEEN ou Musgo Irlandês

Chondrus crispus é muito usada em todo tipo de produtos alimentícios por ter propriedades emulsificantes e geleificantes. É usada para dar consistência em comidas e produz uma gelatina incolor, e por isso é usada na fabricação de sobremesas. Também é uma alternativa vegetariana à gelatina. É rica em retinol e em minerais.


KOMBU (laminaria ou “kelp”)

A Laminaria digitata é encontrada em muitas áreas litorâneas do mundo. É uma alga marrom com centenas de variedades.

É encontrada em todo tipo de produtos comerciais, de pasta de dentes a fertilizantes.
É rica em iodina, é já foi muito usada na prevenção da gota e de problemas de tireóide.

Com a alga Kombu os chineses fazem uma sopa traditional chamada "dashi".

A alga kombu japonesa é a Laminaria japonica. É cultivada (cultivo extensivo) na região de Hokkaido e na China, no Mar Amarelo. Arame, outra alga japonesa também é um tipo de laminária.

A alga Kombu é uma ótima fonte de ferro, magnésio e folato (vitamina B9).


WAKAME

Wakame (Undaria pinnatifida) é um tipo de alga laminária. É uma alga saborosa e muito apreciada, que pode ser incorporada a sopas e ensopados. A Wakame é produzida principalmente no Japão, mas já há fazendas dessas algas na França (Bretanha).

Pesquisas recentes mostraram que a wakame tem propriedades anti-obesidade e tem altos teores de EPA, um ácido graxo essencial.

Wakame é uma alga verde e sabor adocicado. Tem uma faixa larga de fibras no centro que pode ser retirada antes de ser consumida.


Na sopa, deixa um sabor agradável de peixe. Pode ser servida como acompanhamento. Os japoneses a usam na sopa de missô.

DULSE

Palmaria palmata, ou dulse é uma alga marrom-avermelhada e é considerada por muitos uma iguaria. Hoje em dia é cultivada e vendida como comida gourmet. Na Nova Escócia é chamada de “Sea Parsley” e é vendida fresca. Os irlandeses a chamam de "dilisk" e pode ser degustada nos pubs.


A dulse é excepcionalmente nutritiva, contendo entre 10-20% de proteína e vitaminas e minerais, incluíndo magnésio, ferro e betacaroteno (que o organismo usa para produzir a vitamina A). Além disso, essa alga é usada na fabricação de cremes hidratantes e cosméticos.

O ‘espaguete do mar’ (Himanthalia elongata) pode ser cozido como um espaguete e usado em pratos similares.


Alga doce ou “sweet kelp” (Laminaria saccharina) é uma versão mais doce da laminária. Traz benefícios ao sisitema endócrino que podem ajudar a prevenir o câncer de mama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails