sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Água Aromatizada de Erva-mate e Abacaxi




Ingredientes

- 1 litro de água filtrada
- 2 colheres (sopa) de erva-mate
- cascas de 1 abacaxi orgânico (lavado com escova)
- 1 limão siciliano cortado em quartos
- 5 gotas de água de flor de laranjeira

Como Fazer

Coloque as cascas de abacaxi numa panela, cubra com metade da água e leve ao fogo alto até ferver.

Acrescente a erva-mate, tire do fogo, coe e deixe esfriar.

Junte o restante da água, o limão e a flor de laranjeira.

Deixe na geladeira por ao menos duas horas antes de servir.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Bobó de Camarão


Ingredientes (8 porções)

- 1 kg de aipim ralado fino
- ½ xíc. de azeite de oliva
- 4 cebolas picadas
- 1 pimentão vermelho picado
- 4 tomates picados
- 5 galhos de coentro
- 4 xíc. de leite de coco
- sal

Para o refogado:
- 1 ½ kg de camarão, sem casca
- 1 ½ xíc. de azeite de oliva
- 1 dente de alho picado
- suco de 1 limão
- 6 tomates picados
- 4 cebolas picadas
- 1 pimentão verde picado
- 6 galhos de coentro
- 5 xíc. de leite de coco grosso
- 1 colher (sopa) de azeite de dendê
- sal

Como Fazer

Faça a massa:
Numa panela com o azeite, coloque o aipim, a cebola, o pimentão, o tomate e o coentro.

Refogue por alguns minutos e vá acrescentando aos poucos o leite de coco, até engrossar e soltar do fundo da panela.

Tempere e deixe a massa esfriar.

Prepare o refogado:
Numa panela com o azeite de oliva, refogue todos os ingredientes com exceção do azeite de dendê e cozinhe por 8 minutos.

Misture este refogado à massa, adicione o azeite de dendê, mexa e corrija o sal.
Sirva com arroz branco.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Salada de Ervilha Torta e Abacate com Molho Asiático


Ingredientes (6 porções)

- 150 g de ervilhas tortas
- 2 abacates em fatias
- 100 de folhas verdes

Para o molho de gengibre:
- 1 pedaço (1 cm) de gengibre fresco
- 1 ½ colher (sopa) de sakê mirin
- 1 colher (chá) de óleo de gergelim torrado
- 1 ½ colher (sopa) de vinagre de arroz
- 1 colher (sopa) de azeite de oliva extra-virgem
- 1 colher (chá) de açúcar refinado
- 1 colher (sopa) de gergelim torrado

Como Fazer

Descasque e rale o gengibre fresco.
Misture aos demais ingredientes do molho, em uma tigela pequena.
Reserve.

Lave e limpe as ervilhas. Cozinhe no vapor, até ficarem tenras.
Retire da panela e seque com papel toalha.

Numa saladeira grande, coloque a ervilha, o abacate fatiado e folhas verdes (como alface, rúcula, alface mimosa roxa).

Regue com o molho e misture delicadamente.
Sirva em seguida.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Suspiros Recheados


Ingredientes

- 6 claras
- 24 colheres (sopa) de açúcar

Para o recheio:
- ½ xíc. de açúcar
- ½ xíc. de água
- ½ xíc. de leite
- 6 gemas passadas por peneira
- 1 colher (chá) de raspas de limão
- 1 colher (sopa) de maisena

Como Fazer

Pré-aqueça o forno a 100º C.

Bata as claras em neve e acrescente o açúcar aos poucos.
Bata uns 5 minutos.

Coloque o suspiro num saco de confeitar, com bico pitanga, e forme montinhos sobre uma assadeira sem untar.

Leve para assar durante 1 hora, com forno semiaberto.

Verifique retirando um suspiro do forno: a parte externa deve estar firme e a interna cremosa. Se necessário deixe assar mais tempo.

Retire do forno e da assadeira com a ajuda de uma espátula, depois que os suspiros estiverem mornos. Deixe esfriar.

Prepare o recheio:
Coloque numa panela o açúcar e a água e leve ao fogo mexendo até dissolver o açúcar. Cozinhe até o ponto de fio grosso.

Junte o leite misturado com as gemas e a raspa de limão e a maisena.
Cozinhe mexendo sempre até engrossar.

Tire do fogo e deixe esfriar.

Passe um pouco de creme na parte inferior de um suspiro e junte o outro.
Repita a operação até acabarem os suspiros.
Rende 40 suspiros recheados.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Tabule de Quinoa com Polvo


Ingredientes

- 200 g de quinoa cozida
- 10 g de pimentão vermelho, verde e amarelo, finamente picados
- 10 g de pepino finamente picado
- 2 g de hortelã picada
- 2 g de salsa picada
- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
- suco de 1 limão
- sal

Para o polvo marinado:

- 5 g de alho picado
- 3 g de pimenta moída na hora
- 50 g de azeite oliva
- 3 g de sal
- 3 g de salsa picada
- 2 tentáculos de polvo cozido

Como Fazer

Marine o polvo por no mínimo 2 horas, com todos os ingredientes indicados.

A parte cozinhe a quinoa em água fervente por 12 minutos, em fogo médio.

Misture numa tigela a quinoa, os pimentões, o pepino, as folhas de hortelã, a salsa, o azeite de oliva, o sal e o suco de limão. Mescle tudo, envolvendo bem até obter uma pasta homogênea. Reserve na geladeira.

Corte o polvo em pedaços e doure numa grelha.

Num prato raso de salada, coloque o tabule de quinoa.
Disponha por cima os pedaços de polvo grelhado e sirva em seguida.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Salada de Brócolis, Milho e Chucrute


Uma boa sugestão para incrementar uma salada de brócolis é acrescentar ingredientes que realcem o sabor e deixem o prato mais colorido...

Ingredientes

- 1 buquê de brócolis
- 1 colher (sopa) de bacon picado
- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
- 2 colheres (sopa) de cebolinha picada
- 4 colheres (sopa) de chucrute
- 1 milho verde cozido, debulhado

Como Fazer

Lave e corte o brócolis em mini-buquês.
Cozinhe no vapor, até ficar al dente.

Passe para o prato de salada e reserve.

Em uma frigideira, aqueça o azeite e frite o bacon, sem deixar tostar demais.

Junte os grãos de milho, o chucrute e a cebolinha.
Mexa até estar aquecido.
Tire do fogo e misture ao brócolis cozido.
Sirva em seguida.

Dica: se quiser apimentar a salada, acrescente ½ pimenta vermelha picada ao refogado.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Aveia na Dieta Sem Glúten


O uso ou não da aveia na dieta sem glúten costuma gerar muitas dúvidas. Este artigo tenta esclarecer as dúvidas sobre o tema.

As pessoas celíacas logo aprendem que a proteína do glúten é encontrada no trigo, centeio e cevada – e em vários alimentos processados, e não apenas os baseados nos cereais acima citados, mas, por exemplo, certos queijos, embutidos, iogurtes, etc. Mas, um alimento que ao menos está tendo uma segunda chance na dieta sem glúten é a Avena sativa – a aveia comum.



A aveia não contém naturalmente a proteína do glúten, no entanto, usualmente é colocada na lista, juntamente com o trigo, o centeio e a cevada, de grãos a serem evitados na dieta estritamente sem glúten.

Por que acontece isso? A questão é que a aveia, no campo, normalmente é cultivada em sistema de rotatividade com grãos que contém glúten. É fácil acontecer a contaminação cruzada durante o crescimento e a colheita, bem como no transporte em caminhões ou trens.

Por estes motivos, é aceito por especialistas que a aveia “comum” provavelmente contém glúten e deve ser evitada pelos celíacos, cuja dieta os impede de consumir qualquer produto que contenha glúten – por menores que sejam as quantidades desta proteína.

Mas, felizmente, a aveia “comum” não é mais a única disponível no mercado. Nos últimos anos, tem sido possível adquirir aveia não contaminada e, nos EUA, os consumidores podem encontrar aveia com certificado garantindo que o produto não contém glúten. Ou seja, alguns produtores tem se esforçado para garantir que a aveia e produtos derivados mantenham-se “puros” e não sejam expostos ao glúten.

Muitos estudos científicos têm avaliado esta aveia pura e a doença celíaca.
Dois estudos recentes – um focado na introdução da aveia na dieta de crianças celíacas, e outro nos efeitos em longo prazo do consumo de aveia em adultos portadores da doença celíaca – não encontraram efeitos adversos relacionados à inclusão de quantidades moderadas de aveia pura, não contaminada, na dieta sem glúten.

A Academy of Nutrition and Dietetics posicionou-se a respeito da aveia, confirmando que a maioria dos celíacos pode comer até 50 g ao dia (cerca de meia xícara) de aveia pura (sem glúten) sem problema algum.

Entretanto, há um dilema crucial: uma pequena porcentagem de pessoas celíacas irá sofrer uma reação à proteína encontrada na aveia pura, conhecida como avenina, igual à que teriam com o glúten. Embora não se saiba ainda quantas pessoas celíacas reagem à avenina, acredita-se que se trata de uma pequena minoria.

De acordo com o Centro da Doença Celíaca da Universidade de Chicago, é possível que menos de 1 por cento dos pacientes celíacos mostrem reação à uma quantidade grande de aveia em suas dietas.

Infelizmente, ainda não existe um exame clínico para determinar quem irá reagir à aveia, ou não, e, sendo assim, ao decidir incorporar a aveia em uma dieta sem glúten, algumas precauções devem ser tomadas.

Segundo nutrólogos do Centro da Celíase do Instituto Médico Beth Israel Deaconess, em Boston, antes que qualquer indivíduo adicione a aveia à sua dieta sem glúten, deve discutir o problema com seu médico ou nutricionista. Além disso, é importante consumir apenas o tipo certo de aveia, ou seja, pura, sem contaminação por glúten, devidamente rotulada e certificada.



Os pacientes recentemente diagnosticados devem certificar-se de estar seguindo rigorosamente a dieta sem glúten, com todos os sintomas resolvidos e os exames de sangue mostrando níveis normais de anticorpos associados com a doença celíaca. Só então a adição da aveia poderá ocorrer gradualmente, com um grande consumo de água, e, ao mesmo tempo, informando o médico sobre o surgimento de qualquer sintoma. Depois de três a seis meses, é importante seguir com o acompanhamento do gastroenterologista. O aumento do aporte de fibras da aveia pode resultar em sintomas gastrointestinais temporários, como inchaço e gases – o que pode ser confundido com sintomas da celíase.

Este é outro motivo pelo qual é importante incorporar a aveia na dieta aos poucos, e de acordo com o aconselhamento de um nutricionista ou médico. Adicionar aveia pura à dieta sem glúten pode ser uma boa vantagem nutricional. O grão é uma boa fonte de fibras, proteínas e vitaminas do complexo B, e também pode ajudar a reduzir os níveis de colesterol. Mas além dos benefícios nutricionais, ser capaz de cozinhar com a aveia aumenta a diversidade da dieta, o que é sempre bem vindo para aqueles que evitam o glúten.



 No final das contas, cabe a cada pessoa decidir o que é melhor para a sua dieta. A chance é boa de que não ocorram problemas ao consumirem-se pequenas quantidades de aveia sem glúten, e adicioná-la à dieta pode ser um incremento nutricional, além de expandir as opções de refeições. Mas, se surgirem sintomas, ou os níveis de anticorpos se elevarem, consulte seu médico. Tenha em mente que há algumas poucas pessoas que não toleram nem ao menos a aveia pura.

Este artigo foi publicado originalmente na edição impressa de inverno (ano: 2015) da Allergic Living Magazine.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails